Mais de 1,5 milhão de pessoas já foram vacinadas contra a gripe no RS

O secretário da Saúde, Francisco Paz, reforça o chamado à campanha de vacinação contra a gripe no Dia D, que ocorre neste sábado (12), nos postos de saúde de todos os municípios gaúchos. “Doze casos de Influenza, entre os 14 confirmados neste ano [conforme o último boletim], estão dentro da população elegível para a imunização”, explica Paz, ressaltando a importância de vacinar os grupos prioritários relacionados pelo Ministério da Saúde. A única contraindicação da vacina é a pessoa estar com febre no momento da aplicação.

Dados até esta sexta-feira (11) registram que mais de 1,5 milhão de pessoas já foram imunizadas contra o vírus da gripe, o Influenza, desde o início da campanha, em 23 de abril. Isso representa uma cobertura de 46,5% dos grupos prioritários. A meta é chegar até o final da campanha, em 1º de junho, a 90% de alcance.

reuniao comiteReunião do Comitê de Monitoramento de Eventos de Saúde Pública, na manhã desta sexta – Foto: Divulgação SES

O secretário falou durante a reunião do Comitê de Monitoramento de Eventos de Saúde Pública, na manhã desta sexta-feira (11). O comitê é intersetorial e reúne-se periodicamente para fazer um levantamento do cenário epidemiológico-ambiental do estado e das atuais ameaças à saúde pública. Além da gripe, foi tratada a situação do mosquito Aedes aegypti e as doenças causadas por esse vetor (dengue, chikungunya e zika vírus).

Apesar dessas doenças não estarem circulando no estado neste ano (só foram registrados casos importados de outras localidades, segundo o último boletim epidemiológico), a incidência do Aedes aegypti apresenta um crescimento significativo, com 280 municípios gaúchos infestados pelo mosquito. “É uma realidade desfavorável”, lamenta o secretário. “O mosquito tem se adaptado ao longo dos anos e nossa forma de consumo, com uso abusivo de plástico, faz piorar o cenário.”

Participaram da reunião representantes do Ministério da Saúde, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes), da Secretaria  de Segurança Pública, do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers), da Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre, da Casa Militar e da Caixa Econômica Federal.

Texto: Ascom Saúde
Edição: Léa Aragón/ Secom

Leave a Reply