Teve início nesta quinta-feira (16) a segunda etapa da Campanha de Vacinação contra a Influenza (H1N1, B e H3N2). Na primeira fase foram vacinados os trabalhadores da área da Saúde e as pessoas com 60 anos ou mais. Nesse ano, devido à pandemia do novo coronavírus, houve um aumento na procura pela vacina. Vale lembrar que essa vacina da Influenza não protege contra o Covid-19, mas auxilia na identificação da doença.

Em muitas cidades a meta da vacinação dos idosos foi cumprida. Em Osório, por exemplo, a Secretaria Municipal de Saúde estimava vacinar 5.515 idosos e conseguiu atender mais de seis mil pessoas nessa faixa etária. Porém, os números acabam sendo enganosos.

Segundo o presidente da Associação dos Municípios do Litoral Norte (Amlinorte), Pierre Emerim, somando todas as cidades da região, mais de 25 mil idosos ficaram sem receber a vacina. Apenas em Imbé, município o qual Pierre é prefeito, duas mil pessoas acima dos 60 anos não foram vacinadas.

Em Osório, a Secretaria Municipal de Saúde está realizando um levantamento para saber a quantidade de idosos que precisam receber a vacina. O trabalho funciona da seguinte maneira. O idoso deve ligar para a Unidade de Saúde a qual recebe atendimento e informar os seus dados. A partir dessa ligação vai ser montada uma lista com os moradores que precisam receber a vacina. Posteriormente os próprios funcionários da Saúde vão até a residência dos moradores para aplicar a vacina. O “cadastro de vacinação” também pode ser realizado pelo whatsapp, basta mandar uma mensagem com os dados do paciente para o número (51) 99548-8371.

Em outras cidades da região, também está sendo realizado esse cadastro. Em Tramandaí, aproximadamente quatro mil pessoas realizaram o procedimento via whatsapp e agora aguardam para serem vacinados. O município tem 8,2 mil idosos, entretanto a meta inicial era vacinar apenas 6,8 mil. O prefeito Luiz Carlos Gauto já entrou em contato com a Secretaria Estadual de Saúde para receber uma nova remessa de vacinas e informou que a prioridade de vacinação no seu município segue sendo os idosos.

DENÚNCIA CONTRA O ESTADO E A UNIÃO

A direção da Amlinorte encaminhou denúncias a Promotoria de Justiça de Tramandaí e a Procuradoria Geral da República do Ministério Público Federal contra o Estado e a União devido à falta de doses da vacina da gripe para as cidades da região. A medida foi tomada após reunião com a delegada da 18a Coordenadoria Regional de Saúde do RS, Magda Bartikoski.

A partir das denúncias, o presidente da Amlinorte quer ampliar a discussão e fazer com que Estado e União resolvam o problema de responsabilidade das duas esferas. “O Ministério da Saúde repassa as doses aos Estados, que repassa as coordenadorias e que finalmente, enviam aos municípios. Só que esse envio fracionado e abaixo do necessário tem causado dificuldades em praticamente todas as cidades do litoral gaúcho”, declarou Pierre Emerim.

Além do envio fracionado das doses da vacina, outro fator contribui para que houvesse esse alto número de pessoas sem se vacinar. Devido a pandemia de Coronavírus que vem atingindo algumas cidades (principalmente Porto Alegre e a região Metropolitana do Estado), inúmeras pessoas resolveram vir para o Litoral para passar a quarentena e acabaram realizando a vacinação em cidades da região.

Osório é um exemplo, onde diversos moradores reclamaram de não terem conseguido a vacina devido a presença de moradores de outras cidades nos locais de vacinação. Emerim falou sobre o ocorrido. “Só eu conheço, no mínimo, 10 pessoas de Novo Hamburgo, Estância Velha, São Leopoldo, que estão na quarentena aqui (Litoral Norte). Então, eles não estão sendo vacinados nas cidades deles, estão sendo vacinados aqui (nos município da região). E eles (Secretaria Estadual de Saúde) não estão entendo isso”, relatou o presidente da Amlinorte.

VALE RESSALTAR

Todos os 23 municípios do Litoral Norte apresentaram falta de vacinas para as pessoas idosas e seguem esperando o retorno da Secretaria Estadual de Saúde e do Ministério da Saúde para conseguir resolver essa situação. Para conseguir vacinar os idosos as Secretarias Municipais aguardam remessas extras das vacinas, mas também podem retirar parte das doses destinadas aos outros grupos para atender todas as pessoas com 60 anos ou mais.

FOTO: PMO