FECHAMENTO geral como alguns tem adotado não poderá ser indefinido e quanto mais próximo ao inverno pior será. O clima ainda quente tem ajudado a minimizar, juntamente com o isolamento social. O agravamento vai ocorrer quando chegar ao inverno por se adiar o inadiável: a contaminação. As autoridades deveriam montar estratégias de proteger o grupo de risco (principalmente idosos) e deixar funcionar o comércio com as mesmas medidas que foram adotadas aos supermercados e restaurantes.

PRONUNCIAMENTO do Presidente Bolsonaro procede a partir do momento em que governadores estão impedindo que o sistema de abastecimento do país entre em colapso. Todos devem lembrar do que ocorreu quando da greve dos caminhoneiros. Preços subiram e mercadorias desapareceram das prateleiras. A premissa maior é isolar os idosos, todos acima de 60 anos. Os mais jovens têm recuperação mais rápida e em poucos dias os casos mais graves já estariam desocupando leitos hospitalares. A contaminação irá ocorrer de qualquer forma como foi com a H1N1 e outras.

PARALISAÇÃO implementada pelos governadores do Rio e São Paulo vão colocar o país em colapso. Ambos, buscando os holofotes, estão aproveitando da situação e com o apoio da grande mídia para se projetarem politicamente, mas esquecem que produção tem de ser escoada e que a indústria não pode parar. Caminhoneiros já ameaçam paralisação geral por falta de condições de trabalho (restaurantes e serviços mecânicos estão fechados nas estradas). As atividades poderiam voltar à normalidade observando as regras de isolamento para idosos, de assepsia e de higienização das mãos e equipamentos.

VACINAÇÃO em Osório gerou críticas de idosos que acorreram aos postos de
Saúde e também no sistema rotativo implementado na Unicnec e Unidade Móvel no Largo dos Estudantes. Muitas das idosas apontaram que a Unidade Móvel fosse aos bairros evitando os deslocamentos maiores, além de que a Secretaria de Saúde poderia promover o cadastramento por telefone, ou pelos filhos dos idosos e assim quando houvessem as doses estes fossem alertados. Com tantos veículos e pessoal na prefeitura poderiam haver várias unidades volantes na cidade ao mesmo tempo atendendo aos idosos. Muitas classificaram a forma de organização desrespeitosa.

SECRETARIA da Saúde também poderia através do cadastro do cartão SUS identificar as pessoas idosas e organizar de modo a classificar por bairro e assim enviar equipes para realizar a vacinação. A questão de neste ano haver muitos idosos a procura da vacina se deve aos filhos estarem disponíveis aos seus pais e avós para levá-los aos postos de vacinação, algo que no ano passado não havia. O isolamento fez com que as pessoas tenham tempo para se dedicar ao cuidado dos mais idosos da família.