Resultado de imagem para prova categoria b

As mulheres gaúchas enfrentam dificuldade para conseguir a Carteira Nacional de Habilitação (CNH). De janeiro até agosto deste ano, apenas 23% das candidatas conseguiram passar nos testes práticos para carteira do tipo B. Foram realizados neste período 163.562 provas.

Mas não são só as mulheres que apresentam resultados ruins nas provas. Em 2016, 55% dos homens reprovaram nos exames práticos para a CNH do tipo B. Os números gerais envolvendo homens e mulheres mostram que não é tão fácil assim conseguir a CNH: 69% dos candidatos rodaram este ano nos exames para carteira B.

Há cinco anos a aposentada Ana Maria dos Santos, 64 anos, rodou em dois testes. Agora, ela decidiu tentar novamente. Só que conter o nervosismo está sendo difícil.

“Para quem tem mais idade, como eu, é muito difícil. Há cinco anos tentei e rodei na baliza duas vezes. Aí larguei tudo de mão e voltei agora. Pior que eu sabia fazer baliz, mas no dia da prova comecei a suar, minhas mãos ficaram geladas. Foi um caos”, contou.

Gabriela é instrutora de um Centro de Formação de Condutores (CFC) na zona leste há dois anos. Ela não vê diferença entre motoristas homens e mulheres. Os erros, segundo ela, geralmente, são os mesmos.

“Eles têm muita ansiedade e pressa para acabar logo. Percebo também que há falta de disciplina para muitos. Isso impacta no resultado das provas”, explicou.

O instrutor Luis Scarparo trabalha há oito anos em um CFC. Ele defende mais dias de treinamentos antes dos candidatos fazerem os testes.

“Eu acredito que deveriam ser mais dias de aula e diminuir a intensidade delas, que é de uma hora e 40 minutos. Na minha visão é muito tempo para o aluno e o instrutor. Para uma pessoa que está começando, ter que rodar 1h40 é bastante. Acho que fazendo isso o aproveitamento seria melhor”, avaliou.

Os números do Departamento Estadual de Trânsito mostram que em categorias específicias, como a A, que é para veículos de duas ou três rodas, a aprovação é bem superior. Foram 46 mil exames práticos com 72% de aprovação. Para as categorias C, D e E, a aprovação chega a 77%.

De acordo com o Detran os índices de aprovações e reprovações não mudam muito de ano para ano e estão dentro da média no Rio Grande do Sul.

No exame de direção o candidato não pode perder quatro pontos. Errar a baliza, não colocoar o cinto, avançar o sinal, desobedecer a sinalização, por exemplo, são consideradas infrações gravíssimas e o candidato reprova na hora se cometer alguma delas.

Hoje, o custo para tirar uma carteira da categoria B é de R$ 1.959,94. Para categoria AB o valor chega a R$ 3.043,27. A pessoa tem que cumprir as 20 horas de aulas práticas e depois pode fazer o exame. Sendo reprovada ela remarca o exame e paga 58,88 de taxas e mais 39,90 de aluguel do carro.

Se ela não se sentir preparada, pode optar por fazer as aulas, novamente, pagando por hora. A pessoa tem 12 meses para conseguir ser aprovada no exame. Caso contrário, ela tem que fazer todo processo de novo e pagar o valor integral para tirar a carteira.

GAÚCHA