Para tentar conter a disseminação do coronavírus nas 145 aldeias e acampamentos indígenas do Rio Grande do Sul, a Secretaria da Saúde do Estado (SES) destinou recursos para a compra de água, alimentos e produtos de higiene para as famílias. O objetivo da medida é manter os índios nas aldeias presentes em 67 municípios gaúchos. Também foram distribuídos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e cestas básicas, em parceria com a Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (SJCDH). Essas medidas reforçam o distanciamento social da população indígena do Estado, que hoje possui em torno de 24.399 índios morando em aldeias, das etnias Guarani, Kaingang e Charrua.

Repasses da SES

O valor mensal do repasse da SES apara atendimento da população indígena varia de mil a quatro mil reais por município, dependendo do número de indígenas presentes em cada uma das 67 cidades beneficiadas. O total chega a cerca de R$ 168 mil mensais. Diante da situação de calamidade pública, esse recurso está sendo utilizado para compra de água, alimentos e produtos de higiene para as famílias. Antes da pandemia esses recursos, previstos pela portaria 946/2015-SES/RS, eram utilizados em diversas ações como aquisição de insumos para as Unidades de Saúde Indígenas e educação permanente de profissionais das equipes.

Distribuição de EPIS

Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) também foram enviados para as comunidades indígenas do Estado. Foram mais de 51 mil máscaras e cerca de dois mil frascos de álcool em gel de 100 ml entregues diretamente nas aldeias. Primeiramente foram destinados lotes de EPIs com 500 aventais, 1.500 pares de luvas, 1.500 máscaras e 30 máscaras face shields para as equipes de saúde indígena que atuam na Região Norte.

Uma segunda remessa levou EPIS para as equipes dos seis polos bases presentes no RS, incluindo Osório e outras cinco cidades gaúchas: Barra do Ribeiro, Porto Alegre,  Viamão, Guarita e Passo Fundo. Esses polos são as primeiras referências na rede de atenção à saúde, os quais podem estar localizados dentro das áreas indígenas ou nos municípios de referência. Para estas equipes foram entregues 110 frascos de álcool gel de 1,7 kg; 450 frascos de álcool etílico; 10,7 mil máscaras; 1,2 mil máscaras N95, cinco mil luvas, 1.750 aventais; e 180 máscaras no modelo face shields.

Cestas básicas

Mais de 6,6 mil cestas básicas já foram entregues a famílias indígenas pela Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, com o apoio da SES, que disponibilizou EPIS para os profissionais da saúde e indígenas que receberam os alimentos. Essas entregas foram realizadas nos seis polos bases da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai). A ação compartilhada entre as pastas da Saúde e dos Direitos Humanos garantiu, também, que grande parte das famílias indígenas pudessem permanecer dentro das aldeias, sem o risco de contágio.

Vale ressaltar que além de Osório, outras cinco cidades do Litoral Norte também foram contempladas. São elas: Capivari do Sul, Caraá, Maquiné, Palmares do Sul e Torres.

Foto: SES