Energia-elétrica-1A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) divulga hoje o percentual do reajuste que será concedido para a Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica (CEEE). Uma fonte que acompanha o estudo antecipa que o reajuste médio para a estatal será de 7,71%.

Após o anúncio oficial, haverá mais detalhes sobre quanto será o reajuste para os consumidores residenciais (baixa tensão) e industriais (alta tensão). O reajuste vale a partir do próximo domingo. No ano passado, o efeito médio para a alta e baixa tensões foi de 23,51%. Somente para os industriais, o incremento foi de 25,6%, e, para os residenciais, foi de 22,39%. Em 2014, o reajuste foi impactado pela questão do grande volume de geração termelétrica (energia mais cara do que a hidrelétrica).

Para este ano, o reflexo é menor pela adoção do sistema de bandeiras tarifárias (medida estipulada pelo governo federal que onera mensalmente as contas de luz quando as termelétricas são acionadas e não mais apenas na época de reajuste). Soma-se a esse fato o reajuste extraordinário dado à CEEE-D e a diversas outras distribuidoras em fevereiro de 2015.

Ao calcular o reajuste, a Aneel considera a variação de custos que a empresa teve no ano. O cálculo inclui custos típicos da atividade de distribuição, sobre os quais incide o IGP-M, e outros gastos que não acompanham necessariamente o índice inflacionário, como energia comprada, encargos de transmissão e setoriais. A CEEE-D atende a 1,6 milhão de unidades consumidoras localizadas em 72 municípios do Rio Grande do Sul.