A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou três novos testes para diagnosticar o coronavírus. A medida foi publicada no Diário Oficial da União. Um deles é um teste rápido, feito com amostra de sangue para detecção de anticorpos. Os outros dois são ensaios moleculares do tipo PCR, que precisa de estrutura e um tempo maior para o resultado, mas tem mais precisão.
Na quinta-feira (19), a agência havia liberado oito testes. Os produtos estão divididos em dois grupos, os que usam amostras de sangue, soro ou plasma (seis deles) e os que retiram material das vias respiratórias (dois). Com isso, o Brasil tem 11 testes aprovados atualmente – nove do tipo rápido e dois do tipo molecular –, de acordo com a Anvisa.

TESTES NO RS
Devido a falta de equipamentos para realização dos testes rápidos alguns estados estão realizando testes apenas em pacientes internados em estado grave. A medida também é válida para o Rio Grande do Sul. A recomendação da Vigilância da Saúde é que em casos leves o paciente fique em isolamento por 14 dias. A atitude foi tomada por parte do governo após a confirmação do primeiro caso de transmissão comunitária, quando já não é possível identificar a origem da contaminação.

CASOS CONSIDERADOS LEVES
Segundo documento da Biblioteca Virtual do Ministério da Saúde, os casos de Síndrome Gripal (SG) são aqueles que apresentam febre de início súbito (maior de 37,8°C) acompanhada de tosse ou dor de garganta e, pelo menos, um outro sintoma – como dor muscular, nas articulações, ou dor de cabeça. Em crianças, é a febre acompanhada de tosse, coriza ou congestão nasal.
CASOS CONSIDERADOS GRAVES
Pacientes que apresentem os sintomas da Síndrome Gripal, associada aos da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), que são: falta de ar, desconforto respiratório e saturação abaixo de 95%.

FOTO: EBC