upload-20160115161302balneabilidade2O novo relatório de balneabilidade, divulgado pela Fundação de Proteção Especial (Fepam) nesta sexta-feira (15) traz uma novidade. Além de todas as praias do litoral banhado por água salgada apresentar condições para banho, a partir de agora a sinalização das bandeiras das guaritas de salva-vidas também representará as condições de balneabilidade. A bandeira preta indica, além de situações de perigo extremo, como tempestades e descargas elétricas, também que o local possui águas contaminadas, sendo impróprio para banho. Segundo a diretora presidente da Fepam, Ana Pellini, a parceria unifica a mensagem no estado e facilita o entendimento do banhista. As placas informativas da balneabilidade da água serão mantidas, tanto nas praias de mar, água doce e nos balneários de águas internas.

A medida é resultado de acordo entre o órgão ambiental e o Comando da Brigada Militar. Conforme o boletim divulgado, a maior concentração de locais impróprios para banho está na bacia hidrográfica do Guaíba. O relatório aponta que não apresenta condições de banho: a praia Recanto das Mulatas, em Barra do Ribeiro; praia Carlos Larger, em Candelária; praia da Alegria e praia da Florida, em Guaíba; balneário Nova Palma, em Nova Palma; praia Santa Vitória, em Rio Pardo; balneário do Passo Verde, em Santa Maria e praia do Encontro, em São Jerônimo. Na região hidrográfica do Uruguai o município de Rosário do Sul, na Praia das Areias Brancas e Santiago, no Balneário Distrito Ernesto Alves apresentam condições impróprias para banho. No Litoral Médio e Sul, apenas a praia da Barrinha, em São Lourenço do Sul apresenta condições impróprias.

Texto: Neemias Freitas/Ascom Sema
Edição: Léa Aragón/Secom