O prefeito Roger Caputi realizou na noite de terça-feira (6), uma live, por meio das redes sociais. O intuito da ação foi poder responder dúvidas e questionamentos da população osoriense. Durante aproximadamente uma hora, Roger respondeu questões sobre variados temas, como vacinação, obras, saneamento, entre outros.

Uma das suas promessas no período de eleições, a questão da revitalização de diversas áreas da cidade, foi o primeiro assunto questionado pelos moradores que assistiam a live. O prefeito Caputi ressaltou a importância que o seu governo está dando em valorizar os balneários da cidade, como é o caso da revitalização já iniciada em Atlântida Sul, que também vai ocorrer em Mariluz.

“Já realizamos no início do ano um mutirão de limpeza. Em junho começamos a manutenção, como as obras de canalização da Avenida Atlântida Sul. Estamos dando tratamento igual aos distritos, com manutenção e limpeza, dando um cuidado maior para a nossa praia”, declarou o prefeito. Além disso, Roger afirmou que está trabalhando para a melhoria do sinal telefônico e de internet nos distritos da cidade e que, já contatou as empresas para ver a melhor viabilidade para solucionar esse problema. Segundo o prefeito, está confirmada a implantação de uma torre na comunidade de Passinhos.

LIXÃO EM ATLÂNTIDA SUL – Questionado sobre a construção de um lixão no distrito, Roger deixou bem claro, afirmando que se trata de uma central de transbordo. “Vai ser um espaço organizado, com controle, para a que a praia fique mais embeleza”, afirmou. De acordo com o prefeito, o local vai receber o descarte de lixo seco, além de resíduos de construção e podas de árvore.

SANEAMENTO – Um problema que não é exclusivo de Osório, o saneamento também foi tema de vários questionamentos trazidos pelos moradores. Segundo Roger, já foram realizadas reuniões com a Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan), a qual é responsável por esse trabalho. Porém, há um impasse devido à questão da privatização da Companhia. Enquanto isso não se resolver, a prefeitura vai permanecer aguardando para tomar uma decisão sobre o assunto.

LAGOAS – A Lagoa do Marcelino segue em processo de limpeza para a remoção dos resíduos, para que aos poucos seja ampliada a canalização. Após, concluída essa etapa, inicia a definição do projeto urbanístico, o qual vai definir o que vai ser implantado aos arredores da Lagoa. “Esse é um processo de médio/longo prazo e precisamos seguir as obras sempre respeitando a natureza”, enalteceu Caputi.

Em relação à Lagoa do Peixoto, há uma “questão contratual”, o que impede da população poder voltar a usufrui-la. Conforme declarou o prefeito, o atual concessionário da Lagoa foi notificado pela prefeitura e afirmou que vai entregar o ponto. Assim, o Executivo deve buscar um novo nome, para comandar o local. A expectativa é que a regulamentação seja feita no segundo semestre desse ano e, se tudo der certo, a Lagoa voltaria a receber visitantes no início de 2022.

OBRAS – Nesses seis meses de governo, diversas obras começaram a ser realizadas e já a confirmação de novas obras para iniciarem no segundo semestre de 2021. No Serramar vai ser ampliado o asfaltamento em um quilômetro na Estrada Ventos do Sul. Também vai ser realizada a colocação de bloquetos. Além disso, o prefeito Roger declarou que foram abertos os trâmites para o abastecimento de água no local. A água seria utilizada do poço, que inicialmente ia atender a Fundação de Atendimento Sócio-Educativo (Fase). Caso a prefeitura consiga a liberação na Justiça, o poço abasteceria o Serramar, além da Penitenciária Modulada Estadual de Osório (PMEO).

No Laranjeiras segue a novela da construção da nova Escola Panni. Após mudar o projeto inicial, o prefeito confirmou que o local da atual escola, vai ser utilizado para a ampliação da Escola Infantil Laranjinha e do Posto de Saúde do bairro. Já a nova escola vai contar com uma quadra esportiva coberta. Ainda falando do Laranjeiras, Roger Caputi ainda disse que está sendo elaborado o projeto para continuação da duplicação da ERS-030, a qual iria do entroncamento até a saída para os municípios de Capivari e Palmares do Sul.

ESTACIONAMENTO ROTATIVO – Responsável por gerar uma revolta por parte de inúmeros moradores, o estacionamento rotativo não poderia estar de fora dos questionamentos trazidos pelos osorienses ao prefeito Roger. É válido lembrar que o projeto foi elaborado pelo governo Abrahão, na sua última gestão (2017-2020) e teve continuação, agora com o governo Caputi.

Para Roger, o estacionamento rotativo é a “democratização do espaço público”. Uma maneira que “o cidadão possa ter tranquilidade e realizar seus compromissos no Centro da cidade”. As faixas azuis, as quais sinalizam o local, já começaram a ser pintadas nas ruas centrais. O estacionamento está previsto para iniciar o funcionamento na segunda quinzena de julho. O valor vai ser de R$ 2,50 por hora, com limite de duas horas por vaga.

Para ao prefeito, a ideia inicial é implementar o estacionamento e ver se vai funcionar. Ele acredita que isso, de certa forma, faça a população resolver trocar o carro pela bicicleta para se locomover. Porém, para isso acontecer, o projeto da ciclovia ligar os bairros até o Centro deve sair do papel. Segundo Roger, é preciso realizar um estudo para interligar as demais ciclovias (da Marcílio Dias, da Ildefonso Simões Lopes e da Avenida Brasil). Uma via seria pelas Ruas Reduzino Pacheco, Santos Dumont, Machado de Assis e Sete de Setembro, mas no momento, a ideia está apenas no início.

GUARDA MUNICIPAL – Há anos sendo especulada, a tão sonhada Guarda Municipal segue sendo um projeto do atual governo. Após, pegar a Secretaria de Segurança em uma enorme “bagunça”. Aos poucos, o Executivo começa a discutir uma reforma administrativa dentro da pasta, com a finalidade de reorganizá-la. Só a partir daí, que a ideia da implantação da Guarda Municipal vai voltar a ser debatida, o que só deve acontecer em 2022.

VACINAÇÃO – A população questionou o prefeito pelo fato de a cidade estar atrasada na questão da vacinação contra a Covid. Quanto a isso, o prefeito reiterou (por mais de uma vez) que o município está aplicando todas as doses, de acordo com a quantia recebida; e sempre respeitando os grupos prioritários estipulados pelo Ministério da Saúde. Em relação às doses que estão sendo guardadas, é com intuito de evitar que as vacinas faltem para a aplicação da segunda dose. Já quanto a um cronograma de vacinação, o município não vai montar um, pelo menos não agora, visto que a prefeitura depende do Ministério da Saúde e da Secretaria do Estado para saber quantas doses vai receber em cada remessa.

TECNOLOGIA E INOVAÇÃO – Com o avanço da pandemia, veio à tona a questão da tecnologia e inovação. Pensando nisso, o governo local vai qualificar os jovens osorienses. Um dos projetos é a implantação do Centro Tecnológico, local que vai disponibilizar a chance da população ter uma formação e conseguir um emprego. Além disso, devem ser implantadas salas de robóticas nas escolas e, também, vai ser realizada uma melhoria na internet das instituições de ensino. “Queremos dar qualidade para os alunos disputarem em condições de mais igualdade o mercado de trabalho”, destacou Caputi.

CONCURSOS PÚBLICOS – Ao falar de trabalho, veio a discussão o chamamento das vagas dos concursos públicos realizados pela prefeitura. Quanto a esse assunto, Roger foi sucinto ao responder que só estão sendo chamados novos concursados para substituir outros servidores. O prefeito citou a Lei aprovada pelo presidente Bolsonaro, a qual impede aumento nas despesas dos municípios, o que impede novas contratações, a não ser em casos específicos, como morte e aposentadoria.

VALE REFEIÇÃO – O prefeito Roger aproveitou para responder alguns questionamentos sobre o Le Card. O auxílio de Vale Alimentação dos servidores municipais não está sendo aceito em vários estabelecimentos da cidade. De acordo com Caputi, a empresa já foi contada, sendo notificada de todos os problemas. Agora, a empresa tem até o final desse mês para resolver as irregularidades. Caso isso não ocorra,  Roger afirmou que há a possibilidade de quebra de contrato para buscar uma nova empresa, evitando assim, “deixar os servidores desamparados”.

DESBUROCRATIZAÇÃO DO SERVIÇO PÚBLICO – Antes de finalizar a live, Caputi falou sobre a desburocratização do serviço público. “A Administração precisa ser um facilitadora da vida do cidadão. Antes, para o processo de solicitação do alvará da empresa era exigido o Habite-se. Após discussões, resolvemos retirar o Habite-se, o qual é compromisso do proprietário do imóvel. O município tem que exigir do proprietário e não do empresário”, afirmou o prefeito. Após elaboração do projeto, o mesmo foi enviado ao Legislativo municipal, onde foi aprovado pelos vereadores, causando a alteração do código municipal.

Para quem não sabe, o Habite-se é um documento que atesta que a residência foi construída de acordo com as normas estabelecidas pela prefeitura local. O habite-se é necessário tanto para novas construções quanto para obras e reformas. Como dito anteriormente, ele era obrigatório para o pedido de alvará. Com a aprovação da Câmara de Vereadores, essa obrigação não existe mais no município.

Foto: Divulgação