O comandante do 8º Batalhão de Polícia Militar de Osório, o Tenente-Coronel Link afirmou que a instituição abriu processo investigatório para apurar o episódio envolvendo a possível agressão de um policial militar contra um aluno em sala de aula em Osório. Em entrevista ao programa Olho Vivo da Rádio Osório nesta manhã de sexta-feira, dia 25, Link confirmou que desde ontem (quinta-feira) quando soube do ocorrido já tomou as atitudes cabíveis e lamentou o fato.
Segundo o Tenente-Coronel, a agressão do brigadiano que teria desferido um tapa no rosto de um estudante de 12 anos, dentro da sala de aula na Escola Municipal Osvaldo Bastos, no distrito de Aguapés, foi um fato isolado. “O que ocorreu não reflete o trabalho da Brigada Militar no município de Osório. Já estamos apurando os fatos para as medidas administrativas quanto à essa conduta inadequada. Realizamos um trabalho de confiança com a comunidade escolar e assim queremos continuar, temos vários trabalhos conjuntos como o Proerd, Lazer e Cidadania”, disse Link.
O prefeito de Osório Eduardo Abrahão esteve reunido com o comandante Link nesta manhã de sexta-feira questionando a abordagem inadequada da BM e as medidas que serão tomadas. “Assim como eu, o Tenente-Coronel Link não aprova essa conduta policial e, pessoalmente, não concordo com a atitude do diretor. No meu entendimento não tinha a necessidade de se chamar a Brigada Militar. Foi uma sucessão de erros. A nossa procuradoria está dando suporte à professora que não conseguiu fazer o registro da ocorrência que ainda teria sido intimidada pelos brigadianos”, disse Abrahão.
Já a comunidade escolar no distrito de Aguapés está revoltada com a agressão sofrida pelo aluno dentro da sala de aula e a conduta do diretor. Na tarde desta sexta-feira, dia 25, às 18h, pais, professores, direção da escola vão realizar uma reunião no local para tratar do episódio que abalou os estudantes e comunidade escolar.

Acesse o link www.radioosorio.com.br/ci/noticias/vernot/3010 que resgata a notícia da agressão.