RETOMADA das atividades comerciais na cidade causaram algumas polêmicas nas portas de lojas devido ao número de pessoas buscando saldar carnês de pagamentos que estavam em atraso. O pior é que algumas não isentam do juro e multa pelo atraso e agora com a liberação do funcionamento, mas restringindo a somente 2 clientes por vez no estabelecimento formam-se filas para pagamento. População tem de entender que não se “liberou geral” da quarentena e que ainda há restrições de mobilidade e obrigatoriedade de distanciamento social. O pior é a loja penalizar o cliente com juros e multa por não conseguir pagar devido ao estabelecimento estar fechado.

PESSOAS idosas estão duplamente penalizadas, pois além da recomendação ser maior para a não circulação nas ruas estas somente pagam conta pelo sistema presencial. Contas vencidas durante a quarentena tiveram seus vencimentos normais e a cobrança de encargos, pois alegam que poderiam pagar por sistema eletrônico. Grande maioria dos idosos não conseguem utilizar sistemas virtuais ou eletrônicos para pagamento de contas e deveriam abolir de comprar nestes estabelecimentos que além de receberem ainda penalizam com encargos estando a loja fechada quando do vencimento. Na hora de vender a loja estava aberta e da mesma forma deveria estar para poder receber.

ARREFECIMENTO das medidas adotadas para a quarentena na cidade busca encaminhar para a normalização do funcionamento do comércio em geral mesmo com restrições. O pior tem sido as atividades bancárias que não retornaram ao atendimento dos caixas e ao público com acesso muito restrito. Para completar nenhum banco tem mostrado facilidades no crédito emergencial às micro e pequenas empresas dentro do que preconizou o governo com a Febraban. Nada de juros baixos e há agências que nem sabem se haverá por não terem recebido qualquer instrução sobre linhas de crédito baratas aos empresários.

MEDIDAS tomadas pelo decreto municipal liberando atividades comerciais na cidade com as devidas recomendações sanitárias e de movimentação de pessoas no estabelecimento deveriam ter sido tomadas desde o início. Assim se diminuiria o ritmo na cidade e evitaria o sufocamento econômico de muitas empresas que terminaram fechando de vez o estabelecimento. Osório vai perder muitos comércios, pois uma grande maioria tem pontos alugados a preços elevadíssimos e sem atividades não terão como pagar as locações.

FALTA de chuva está provocando incêndios na vegetação seca na cidade e arredores. No domingo a cidade ficou coberta de fumaça devido a vários focos de incêndio na cidade. Ontem a resteva de lavoura de arroz entre Glorinha e Santo Antonio fez com que a fumaça cobrisse a cidade trazida pelo forte vento sul que sopra há dois dias. Com o vento o coronavírus foi varrido da cidade para o mar e ainda defumado pela fumaça dos incêndios.

VACINAÇÃO contra o vírus Influenza em Osório novamente durou poucas horas após o início da vacinação. Ainda há muitos idosos na cidade não vacinados e a meta, segundo a Secretaria da Saúde já foi atingida. A questão é que os municípios do litoral tiveram a vinda de muitos idosos da região metropolitana para a região e por aqui buscaram a vacinação pela facilidade de deslocamento do que é nos grandes centros. Secretários de Saúde devem buscar as doses na região metropolitana que certamente será bem menor que a meta. Prefeito Pierre já se movimentou exigindo do Estado e União mais doses da vacina para o seu município. Em Osório idosos devem ligar para a Secretaria da Saúde e agendar para que a vacinação ocorra em casa. Telefone para envio de mensagem solicitando agendamento é 51 99548-8371 (somente residentes de Osório).