QUARENTENA aos poucos se comprova que foi medida extrema tomada por prefeitos e governadores em vários estados. Desde o começo os primeiros casos vieram de pessoas que vieram de viagem da Itália ou China. Portanto era questão de pegar a lista de passageiros dos aeroportos e identificar os abastados que podem viajar a tão longínquos lugares e monitorá-los. Está claro que os aeroportos internacionais (Rio de Janeiro, São Paulo, Fortaleza, Brasília e Manaus) foram as portas de entrada. Mas com o Carnaval se aproximando quem iria arriscar cancelar tudo ou colocar os turistas em quarentena?

REDE Globo está se especializando em levar pânico à população. Se desde o início da possibilidade de uma contaminação o “Dr.” Mandetta tivesse aconselhado a população a fazer suas máscaras e higienizar as mãos e o distanciamento as cidades não precisariam parar. O problema é que há uma eleição próxima onde já destinaram R$ 2 bilhões de dinheiro público para campanha e com a abertura dos orçamentos pelo estado de calamidade decretado em vários estados e município e mais recursos que Rodrigo Maia quer irrigar prefeitura e governos estaduais para a “Covid-19”. Mas abrir mão do fundo eleitoral e do fundo eleitoral é impossível para o “Nhonho”.

QUARENTENA no Brasil foi como dar uma dose forte para um paciente. Pode até curar, mas vai deixar sequelas ou até matar. Fechar as cidades como promoveram em cidades que até hoje não nem mesmo caso suspeito foi a dose cavalar que está matando empregos, vários comércios, pessoas a cometerem suicídio, depressão e não atendimento de outras enfermidades em Hospitais e Unidades Básicas. Tudo é Covid-19. Governador Dória e Witzel convenceram governadores para uma desgraça, enquanto esta se encontra no quintal deles.