PREFEITO eleito Roger Caputi tem manifestado que ao assumir o executivo fará uma auditoria completa em todos os setores da administração. O tema foi reforçado depois das denúncias e levantamentos ocorridos que levaram a ação do Promotoria Pública e polícia especializada do GAECO no mês de outubro para apurar os desvios de recursos na Secretaria da Saúde. É sabido que há o envolvimento de algumas empresas da cidade e de fora que seriam beneficiadas em esquemas de superfaturamento. Este tipo de ação policial ocorreu pela segunda vez na gestão do PDT e por certo o prefeito eleito deve realizar um “marco zero” da sua gestão, a partir das denúncias que serão apuradas e outras que poderão surgir podendo envolver o setor de compras.

CORSAN tem trabalhado muito nos últimos meses diante de várias notificações que tem feito sobre oscilações de abastecimento de água na cidade. Estas oscilações têm sido oriundas de reparos na rede de água, como ocorreu ontem na rua Barão do Rio Branco para reparo e troca de parte da tubulação. A maior parte da rede distribuidora de águas da cidade tem mais de 50 anos no centro da cidade e bairros mais antigos. Prefeitura e a empresa poderiam promover a substituição da malha de distribuição e ao mesmo tempo também ampliar a malha de coleta de esgoto que está prevista para um dia ser realizada.

RUAS danificadas devido a reparos da Corsan, como abertura de buracos e retirada de asfalto são de responsabilidade da concessionária de águas e esgotos. A prefeitura apenas autoriza a realização dos trabalhos nas vias públicas, mas os custos de recuperação de asfalto, calçamento e passeios públicos, conforme for o caso são despesas da empresa de águas.

AUMENTO dos casos de contaminação por Covid 19 é importante para a imunização comunitária, o que as pessoas devem considerar é que ao sentir qualquer sintoma não deixe de buscar opinião médica. A Covid é uma gripe que se não tratada no começo dependendo do tipo de vírus pode agravar para uma pneumonia, mas que no caso da Covid 19 é uma “pneumonia” mais grave que paralisa o pulmão rapidamente e dificulta a oxigenação do sangue levando a sequelas no organismo. Seria o mesmo que aconteceu com os índios que não tinham contato com a civilização e morriam de uma simples gripe por não terem imunidade alguma para gripe. O melhor é evitar o contágio, mas ficar em casa é o pior, devendo ter cuidado com higienização e distanciamento. A máscara reforça a proteção diante de casos de contato mais próximo com pessoas possivelmente contaminadas.

RESTRINGIR o funcionamento do comércio é uma das piores ações que o governo do Estado deveria promover. O regramento do funcionamento das empresas serve para unificar procedimentos de acordo com a atividade, mas daí a restringir dias de funcionamento, horários e atendimento já se torna atitude arbitrária que deveria ter sido combatida desde o começo. A população não deveria ter aceitado, mas foi amedrontada pelo perigo que a mídia levou ao público com informações erradas, a começar pelo ministro genocida Mandetta. Se os protocolos de distanciamento e higienização tivessem sido apregoados desde o início a economia não teria sido afetada, não haveria o fechamento de milhares de empresas e a rede pública estaria mais equipada e treinada. STF e governadores ajudaram com a pá de cal sobre a economia e evolução de mortes pela doença, isto sem falar na roubalheira de recursos que foram destinados para equipar postos de saúde e hospitais, como foi o caso de Osório.

AMPLIAÇÃO de leitos de UTI no Hospital de Osório era prevista deste agosto quando foi levantada a possibilidade. No entanto, o presidente do Hospital Marco Pereira disse haver espaço e condições de receber estes novos leitos, mas precisaria da garantia do Governo do Estado e da Associação dos Municípios do Litoral – Amlinorte dos recursos para a manutenção e operação destes leitos. O custo mensal supera os R$ 400 mil o que para o Hospital seria temeroso tendo em vista que a entidade vinha tendo um déficit desta ordem em suas contas antes mesmo da pandemia. Agora com a garantia do Governo do Estado e o aporte dos municípios da região atendida para compra de equipamentos e reforma da sala que seria da UTI neonatal o investimento é mais do que bem-vindo.

GOVERNO Federal de mais de 30 milhões de testes com validade se expirando em dezembro. O Estado tem cerca de 30 mil testes na mesma condição. Se há tamanha quantidade de testes por que os prefeitos e governadores não ampliaram a testagem da população? Seria por que foram comprados pelo Governo Federal e não haveria como desviar recursos da Covid e a intenção era comprar EPIs e respiradores superfaturados? Só a PF na causa.