2020 chega ao fim depois de uma verdadeira guerra campal na política e na Saúde. Não se quer dizer que isto se refere somente na esfera federal, mas na municipal, Osório teve seus percalços. Na política, por causa do imbróglio do secretário Emerson Magni, pré-candidato do PDT a prefeito desistiu da candidatura depois de denunciado da sua gestão na Saúde. Secretário da Saúde por praticamente 12 anos gerou a derrota do PDT depois de 16 anos no paço municipal. Na esfera federal Bolsonaro descobriu seus ministros traíras na Saúde e na Justiça que ambos ocupantes vislumbraram se verem no assento do chefe no Planalto.

PREFEITO eleito Roger Caputi quer fazer uma gestão austera em termos de gastos. Começou colocando o seu vice Martim Tressoldi no cargo de secretário de Obras. Além disso, já se referiu sobre redução de cargos comissionados dos atuais 150 para 100, o que ainda é elevado e que poderá aproveitar mais os próprios funcionários com FGs. Terá que revisar muitos casos de FGs e comissionados em todas as secretarias.

BANCADA do PDT é totalmente inexperiente na política. Um grupo de novatos que desconhecem a rapinagem do meio e que podem vir a serem usados como massa de manobra. Os eleitos não eram os “queridinhos” do partido que buscavam a reeleição, mas que pagaram nas urnas o preço das traquinagens do secretário da Saúde e das ações secretas do vice-prefeito Renda. PDT entendeu que o troco seria com a indicação de Lurdes Helena para vice, para perder a eleição que antes do escândalo era dada como 100% do partido.