LIBERAÇÃO de praças da cidade feitas ainda no governo Abrahão mostrou que a medida foi desnecessária e permitiu que os comerciantes de food truck pudessem trabalhar a tardinha sem maiores problemas. As aglomerações que haviam deixaram de existir e assim os munícipes e visitantes puderam visitar a praça central, vem como utilizar para descanso e travessia de um lado a outro. Todas as praças estavam bloqueadas devido à pandemia

PARTIDOS políticos como Rede e outros puxadinhos do moribundo PT associaram-se a Rodrigo Maia para eleger o novo presidente da Câmara dos Deputados. A sanha pelo poder não poupa nem mesmos os esforços do governo federal para uma futura campanha de vacinação. Associados ao mafioso governador de São Paulo e ao desmoralizado STF querem destituir Bolsonaro e atribuir ao presidente as consequências dos anos nefastos de um socialismo fracassado. O povo já disse não ao eleger Bolsonaro e buscam fazer agora no tapetão acionando o STF para picuinhas políticas.

EX-PREFEITO Abrahão persistiu muito na aprovação do estacionamento rotativo. Foi antecipando a aprovação demarcando vagas de estacionamento em várias ruas centrais, sendo primeiramente descartado pela população e retirando o projeto. Numa segunda tentativa e reduzindo áreas de estacionamento já vinha até o possível valor a ser cobrado por hora. Passou-se três anos e não andou a aplicação do projeto e a possível licitação para empesa que gerenciaria o estacionamento rotativo. Ao longo destes anos ainda não se vê a necessidade de tal aplicação da lei, pois a cidade com a pandemia está com trânsito mais leve e as pessoas ficam menos tempo no centro da cidade. Mas é algo que está aprovado e que o futuro secretário de Segurança e Trânsito pode vir a aplicar.

PREFEITO Roger em campanha muito falou em transparência na gestão e assim evitando os fatos que ocorreram durante a gestão de Abrahão em alguns setores. Auditorias serão feitas para apurar casos de algumas empresas que tiveram apontamentos pelo Ministério Público e denúncias realizadas da existência de um círculo vicioso em algumas licitações.