QUEDA do dólar nessa semana já atingiu quase 3% estando cotado ontem à tarde a R$ 5,29. Em 12 de abril a variação da moeda teve seu máximo atingindo R$5,73 representando uma queda percentual de quase 8%. O que se espera que isto seja repassado aos preços dos combustíveis onde o litro da gasolina teve uma alta da semana passada para esta na cidade. O preço médio da gasolina comum está R$ 5,759 tendo o menor preço a R$ 5,579. A queda sempre é mais demorada do que a elevação do preço.

FILAS para vacinação em primeira dose e principalmente para receber a segunda dose poderia ser evitada se houvesse maior entendimento com relação a organizar o deslocamento das pessoas. Deveria durante o período de aguardo das vacinas serem distribuídas senhas para as pessoas da faixa etária a ser vacinada e quando a vacina chegasse sabendo-se do número de doses seriam chamadas as senhas cadastradas. Quando vacinar a primeira dose cola a carteira de vacinação a senha para a segunda dose e assim ir chamando as senhas de acordo com as doses disponíveis. A distribuição destas senhas seria antecipada e isto evitaria que as pessoas passassem a madrugada aguardando a sorte de receber a dose.

MARTIM Tressoldi realizou a obra de contenção da margem do conhecido como valo do Mazangui. O problema ali era o desmoronamento da margem em decorrência das águas em tempos de muita chuva. O barranco tinha uma altura de cerca de 10 metros e já em 2008 foi realizada uma reportagem do Momento mostrando a ameaça que a situação apresentava para algumas casas que estavam prestes a ruir com a erosão frequente. Tudo indica que os moradores próximos conviveram com o problema até agora e que com um investimento de R$ 170 mil foi construída a contenção evitando prejuízos a vários moradores. A obra foi concluída na semana passada com o muro de 10 meros de extensão e 3 metros de altura, aterramento e plantio de grama recuperando parte da área que já havia sido destruída ela erosão.

RETOMADA das aulas presenciais tem sido dificultada pela contrariedade dos professores em retomar às atividades. Enquanto o CPERGS somente alega querer salvar vidas e somente retornar após vacinação dos professores é de se pensar se balconistas, padeiros, restaurantes, cabeleireiras, motoboys, empresas de comida e serviços por tele entrega tomassem a mesma atitude. E se médicos, enfermeiros, trabalhadores da segurança pública e os caminhoneiros decidissem trabalhar somente depois de vacinados? Agora também elevados a categoria de serviços essenciais pode ser que possam olhar com o outros olhos aquilo que está longe de ser egoísta.