HOSPITAL São Vicente de Paulo vai contrair empréstimo junto a Caixa dentro do programa de financiamento ofertado pelo Governo Federal com juros baixos, prazo de carência para pagamento e parcelamento amplo. Serão R$ 1,5 milhões que serão investidos em reformas e ampliação do Hospital para com isto adquirir uma nova classificação junto ao SUS e assim ter melhor remuneração pelos serviços que presta. Neste projeto estão novas instalações e ampliação do setor de Hemodiálise eliminando a fila de espera, troca do telhado da parte antiga e colocar toda a ala Clínica no andar térreo e reformar o espaço ocupado atualmente pela Hemodiálise para a criação de leitos clínicos pós-operatórios. Com estes leitos já se prospecta a criação da ala de oncologia para tratamentos de câncer com radioterapia e quimioterapia o que fará muitos pacientes que hoje vão para Porto Alegre terem o tratamento aqui em Osório.

ALTERAÇÃO feita no sentido de circulação de carros na rua Marechal Floriano se dá no trecho entre a Rua João Sarmento e a Rua Antonio Mesquita. Este trecho que é totalmente residencial volta a ter duas mãos o que antes havia somente do sentido bairro centro. A alteração feita obrigando o acesso ao bairro pela Rua Bento Gonçalvez e ou pela Joanim Gamba (via acesso da rua lateral da BR 101) somente fez aumentar o fluxo de carros no bairro e reduzir a trânsito defronte a casa do ex-prefeito.

RETORNO às aulas presenciais previstas para agosto já deverão ter toadas as escolas adaptadas às regras de prevenção e higienização. No mesmo sentido também vai o transporte escolar. Como agora é período de dias curtos também há a necessidade de segurança na saída das escolas e na iluminação ao redor. Um caso a se resolver é a iluminação da passarela da Rural que há dois anos está com um dos acessos no escuro que é justamente o do lado da escola. Algo para a CCR- Via Sul verificar e repor luminárias e fazer voltar a iluminação das já existentes no trajeto.

SECRETARIA de Desenvolvimento de Osório poderia criar um novo projeto de cobertura do largo dos Estudantes. O atual sistema já consumir mais de R$ 2 milhões em reparos ao longo do tempo e ainda apresenta os mesmos problemas que deveriam ter sido resolvidos. Banheiros destruídos, sem cobertura no acesso aos sanitários e a cobertura apresenta vários problemas de calhas e telhas furadas o que alaga o local. Na gestão anterior a ideia era servir de guarda sol, pois as goteiras somente ocorriam em dias de chuvas.

PRIVATIZAÇÃO da Corsan é tida como certa, mas agora há um movimento indicando que a empresa dá lucro. Mas fica a pergunta: se dá lucro, e com certeza sempre teve onde foram parar estes recursos que não foram investidos na atividade-fim da empresa que é o saneamento básico onde está o tratamento e coleta de esgoto e a distribuição de água tratada? No governo do PT de Olívio Dutra milhares de reais foram gastos em locações de carros para ceder a apadrinhados que se diziam trabalhar no Orçamento Participativo, além de custear outras despesas que nada tinham coma Companhia.