O Comando Geral da Brigada Militar reuniu, na tarde desta segunda-feira (1º), diversos setores da corporação para avaliar a atuação da BM depois do temporal da última sexta-feira (29). A reunião ocorreu na sala de cenários do Quartel do Comando Geral, em Porto Alegre.

De acordo com o comandante dos Bombeiros, tenente-coronel Adriano Kurkoski, já na sexta-feira (29) foram deslocadas cinco células de uma força tarefa do Comando do Corpo de Bombeiros para Porto Alegre, com 52 homens e 14 viaturas equipadas com motosserra, material para remoção e inundação, entre outros. “Nosso principal foco, num primeiro momento, foi o apoio para a liberação de acesso à CEEE para que pudesse fazer o religamento de luz e, por consequência, o retorno do abastecimento de água para a população”, destacou.

Com a demora no restabelecimento de água, foram trazidos autotanques com capacidade de 30 mil litros de água do 2º Comando, em São Leopoldo, especialmente para hospitais e clínicas geriátricas. Agora, a meta é a desobstrução de vias, garagens residenciais e telhados.

Por solicitação do Comando Geral da BM, os bombeiros de Florianópolis vieram a Porto Alegre, liderados pelo tenente-coronel Cesar de Assumpção Nunes, comandante da Primeira Região Militar que atua no litoral catarinense. A equipe trouxe três bombeiros, duas caminhonetes com equipamento para o corte de árvores, motosserra, resgate e um autotanque com 28 mil litros de água. Segundo Assumpção, o grupo permanecerá no RS até que seja necessário. “Viemos apoiar nossos colegas gaúchos em retribuição ao serviço prestado por eles em 2008 quando uma guarnição da BM permaneceu por 20 dias na cidade de Itajaí quando tivemos uma grande enchente que matou 180 pessoas”, disse o comandante catarinense.

O comandante de Policiamento da Capital interino, tenente-coronel Kléber Goulart, disse que operações com foco em bairros mais afetados pela falta de energia foram executadas, concentrando o efetivo na priorização em emergências e ocorrências policiais que pudessem acontecer nestes locais.

O tenente-coronel Goulart explicou que, com o cancelamento de eventos do final de semana, foi possível concentrar maior número de policiais na prevenção a arrombamentos e saques que pudessem ocorrer. “Acertamos com os promotores do carnaval e comunidade para o cancelamento da festa que ocorreria na Cidade Baixa. Também, junto com os bombeiros, sugerimos à Federação Gaúcha de Futebol a suspensão do jogo do Inter no domingo porque não havia segurança nos acessos ao estádio, conforme estabelecido no estatuto do torcedor. Com isso, houve reforço significativo no policiamento ostensivo nas áreas mais atingidas, em especial, nas noites e madrugadas do final de semana”,afirmou.

O coronel Alfeu Freitas Moreira reforça a manifestação do prefeito em exercício Sebastião Melo, para que a população tenha paciência. “Podemos afirmar que, Estado e prefeitura, BM e Comando do Copo de Bombeiros estão juntos, trabalhando para a volta à normalidade em Porto Alegre”.

Texto: Clelia Admar/ GCG
Edição: Léa Aragón/Secom