Caminhoneiros pretendem seguir com protestos até que preço do diesel seja reduzido

*Com informações da repórter Mauren Xavier

thumb (1)Os protestos dos caminhoneiros em várias rodovias – que ocorrem desde segunda-feira – devem continuar, pelo menos no Rio Grande do Sul, até que o preço do óleo diesel seja reduzido. Em meio aos protestos, a Petrobras chegou a anunciar hoje reajuste do preço dos combustíveis. Porém, nesta terça-feira adotou uma nova medida: redução de 1,54% – após sete aumentos consecutivos. A partir desta quarta-feira, o produto custará nas refinarias R$ 2,3351. O diesel acumula desde o dia 1º de maio alta de 12,3%.

No início da tarde, as manifestações afetavam 26 cidades gaúchas. Em Três Cachoeiras, muitos caminhoneiros foram obrigados a parar no km 22 da BR 101 e aderir ao movimento. Devido ao reforço de policiamento no local, a Polícia Rodoviária Federal liberou os motoristas que quisessem seguir viagem. Apesar do número de manifestantes ter diminuído, o movimento segue forte na região.

Às margens da ERS 118, entre Cachoeirinha e Sapucaia do Sul, o caminhoneiro Eder Vicente da Costa destacou que o protesto deveria ser coletivo porque os prejuízos são para todos. Ele citou que os reajustes dos combustíveis vão pesar mais forte também nos motoristas de carro e no preço das mercadorias.

A adesão e compreensão ao movimento foi notada diante dos buzinaços pelos motoristas de carros ao passarem pelo ponto de protesto. No local, quando foi feito o bloqueio, formou-se uma longa fila de caminhões. Mesmo os demais veículos podendo seguir viagem, o trânsito ficou lento, gerando engarrafamento. Apesar de o ato ser pacífico, quem tentava romper o bloqueio acabava sendo coagido por alguns manifestantes na beira da rodovia. “Temos que estar todos juntos, mas também tenho compromisso de entregar a carga no prazo. Daí fica complicado”, comentou um caminhoneiro, ao ser obrigado a parar.

Confira os protestos

– ERS 020: km 28, em Taquara: cerca de 30 pessoas participam do ano. Não há bloqueios.

 ERS 122: km 16, em São Sebastião do Caí:  cerca de 50 pessoas participam do ato. Somente caminhões são parados, para se juntarem a manifestação.

– ERS 040: km 28 ao 21, em Viamão: cerca de 40 pessoas. Trânsito livre.

– ERS 474: km 01, em Santo Antônio da Patrulha: cerca de 40 pessoas. Caminhoneiros são convidados a parar, demais veículos têm trânsito livre.

– ERS 118: km 9, em Gravataí: cerca de 50 pessoas reunidas às margens da rodovia.

– ERS 118: em Cachoeirinha

– RSC 287: km 78, em Santa Cruz do Sul: cerca de 30 pessoas – apenas aglomeração.

– ERS 471: km 220, em Cachoeira do Sul: cerca de 30 pessoas – apenas aglomeração.

– ERS 239: km 34, em Araricá: manifestação às margens da via.

– RSC 287: km 2, em Montenegro: manifestação as margem da via.

– RS 129, em Muçum: queima de pneus na rodovia

Federais 

– BR 101: km 22, em Três Cachoeiras: bloqueio apenas de veículos de carga.

– BR 290: km 219, em Uruguaiana: bloqueio apenas de veículos de carga.

– BR 285: km 461, em Ijuí: bloqueio apenas de veículos de carga.

– BR 116: km 397, em Camaquã: bloqueio apenas de veículos de carga.

– BR 285: km 337, em Carazinho: bloqueio apenas de veículos de carga no trevo do avião.

– BR 158: km 267, em Júlio de Castilhos: sem interrupção do trânsito. Os caminhoneiros são parados para participarem da mobilização.

– BR 392: km 350, em Santa Maria: manifestação ocorre no estacionamento de um posto de combustível.

– BR 392: em São Sepé: a manifestação ocorre junto ao posto de combustível Cotrisel.

– BR 290: km 417, em São Gabriel: apenas os caminhões são parados.

– BR 285: km 273, em Mato Castelhano.

– BR 468: km 1, em Palmeira das Missões.

 BR 285: km 199, em Lagoa Vermelha.

– BR 285: km 301, em Passo Fundo.

– BR 285: km 217, em Caseiros.

 BR 153: km 53, em Erechim.


There is no ads to display, Please add some