Com o encerramento do prazo para as convenções partidárias para definição de candidatos a prefeito e vereadores já começa o período de campanha após a homologação pela Justiça Eleitoral das nominatas.

Osório terá três candidatos a prefeito, reunindo as mais diversas siglas partidárias. O MDB confirmou Roger Caputti e terá como vice martim Tressoldi (PSDB), o PDT não terá candidato a prefeito somente o vice que foi indicada a professora Lourdes Helena e o candidato a prefeito será Eduardo Renda (PP), atual vice-prefeito. O terceiro candidato será Hélio Bogado do PSB e que ainda está definindo o vice.

Candidatos a vereador dos partidos, que neste ano não podem formar coligações, somente terão o PP, MDB, PDT, PSDB e PSB. Cada sigla apresentará no máximo nove candidatos homens e cinco candidatas mulheres. Neste sentido muitos nomes novos na política estarão sendo colocados em teste nas urnas.

A campanha deste ano prevê muitas restrições das campanhas anteriores, por consequência disto, muitos candidatos vão para o antigo “corpo a corpo” como eleitor. Além disso, o uso das mídias sociais também terá grande procura pelos candidatos em busca de votos de amigos, parentes e grupos do whats. A volta da distribuição de “santinhos” também será uma das formas de comunicação para que o eleitor não esqueça do número do candidato no momento da votação. Com estas restrições haverá o aproveitamento do espaço em emissoras de rádio pelo horário eleitora gratuito e também a propaganda em jornais que também é limitada em tamanho e número de publicações.

A grande expectativa dos eleitores osorienses estão pelos debates que certamente serão calorosos devido as denúncias na atual administração de desvios de recursos na Saúde e por estar entre os candidatos o denunciante Hélio Bogado. Neste sentido poderá haver mais denúncias e revelações das gestões do PDT a frente da administração municipal.

A Justiça Eleitoral também vai estar atenta ao uso das redes sociais pelos candidatos e às denúncias de crimes eleitorais, do tipo entrega de cestos básicos por empresas supermercadistas, caçambas de aterro, materiais de construção entre outras formas costumeiras de aliciar eleitores e driblar a fiscalização do Ministério Público Eleitoral.

Neste momento de começo de campanha o eleitor deve analisar já as candidaturas, ver e conhecer os possíveis representantes e suas propostas e que estes demonstrem capacidade e seriedade para cumprirem a missão que lhes serão incumbidas. O eleitor não deve pensar em benefícios momentâneos “vendendo” seu voto, mas sim pensar na comunidade e, os quanto todos podem ser beneficiados com bons serviços públicos em áreas importantes para seus filhos, netos e a si mesmo. Neste momento Educação, atendimento à saúde, segurança e geração de empregos são primordiais para o desenvolvimento da comunidade. Cobrem dos candidatos por soluções de alcance para a comunidade, para o seu bairro, para a sua rua. Devemos entender que a prefeitura existe para servir a população em suas necessidades comuns e não para gerar empreguismo e oportunizar desvios de recursos de área importantes, bem como beneficiar empresas “amigas”.

Esteja atento eleitor, pois esta é a oportunidade em que a população pode fazer a diferença, assim está sendo com o governo federal e devemos fazer na nossa cidade.