Há medida que os dias vão passando a Polícia encontra novas provas sobre o caso da morte do menino Miguel Rodrigues. Na noite de terça-feira (3), foi apreendido um caderno com frases ofensivas, que segundo a investigação eram copiadas pela criança. Segundo o delegado Antonio Carlos Ractz, o menino era obrigado a copiar frases como “eu sou um idiota”, “não mereço a mamãe que eu tenho”, “eu sou ladrão, “eu sou ruim” e “eu sou um filho horrível”.

O objeto foi apreendido durante buscas em dois apartamentos onde Miguel morou com a mãe, um no Balneário de Santa Terezinha e o outro no Centro de Imbé. Além do caderno, a polícia também localizou uma corrente, que seria utilizada para manter a criança presa. Ainda conforme o delegado, a Perícia Criminal também esteve nos apartamentos e coletou material genético para realizar exames.

Foto: PC


There is no ads to display, Please add some