Pelo menos 22 municípios gaúchos, além de Porto Alegre, enfrentam atrasos nos serviços dos Correios nos últimos dias. Ouvintes da Rádio Gaúcha relataram problemas em cidades de diferentes regiões do Rio Grande do Sul: de Pelotas a São Sepé; de Santa Maria a Carlos Barbosa; além da região metropolitana, Vale do Sinos e litoral Norte. Em nota oficial, os Correios no Rio Grande do Sul garantiram que a regularização dos serviços deve ocorrer até a próxima semana.

A estatal alega aumento da demanda e do número de afastamentos de empregados por motivo de saúde neste início de 2017. Já o Sindicato dos Trabalhadores em Correios e Telégrafos do Estado (Sintect-RS) argumenta que os atrasos começaram depois que os Correios implantaram a Distribuição Domiciliar Alternada, chamada de DDA, que estabelece que o carteiro vá às ruas um dia sim e outro não.

De acordo com o secretário-geral do Sintect-RS, Yuri Monteiro Aguiar, ainda tem o agravante da falta de efetivo. “Gerada pelo programa de demissão voluntária instituído pela estatal e que já está no terceiro ciclo”, reclama. Os Correios, porém, garantem que contratações emergenciais estão previstas para o mês de abril. Mas a categoria é contrária: “defendemos que seja feito um novo concurso público. O último foi em 2011”, frisa Aguiar.

Crise histórica – Os Correios passam por uma das piores crises financeiras da história da empresa. A previsão é que o prejuízo em 2016 tenha sido de quase R$ 2 bilhões. Em 2015, a estatal já havia registrado um prejuízo de R$ 2,1 bilhões.

GAÚCHA