O país vive assombrado com tamanha desmoralização de instituições e instrumentos que deveriam ser pautados pela seriedade e pela confiabilidade da população. Infelizmente depois de mais de 20 anos o país sendo instrumentalizado pelos partidos de esquerda que tem a utopia de um socialismo puro e perfeito para o povo, se percebe o quanto foi corroído após o período do regime militar. Falar no Ato Institucional nº 5, o AI5 é o maior palavrão e crime no país. Roubar bilhões, receber propinas bilionárias, desmontar a Educação, sucatear a Saúde, e corromper ministérios e até mesmo o STF tem sido algo visível aos olhos do povo.

As ações ativistas de alguns ministros do STF, como deuses da Justiça, atropelaram a Constituição, seus próprios pares e fez das instâncias menores serem reduzidas a pó. Não obstante buscaram colocar na lama as Forças Armadas, esquecendo do que estás são para um país democrático e independente. E assim foram colocados novamente em suas cadeiras voltando-se para agredir os Poderes Executivo e o Legislativo. Mas o pior é o STF ter permitido que ladrões condenados fossem soltos, conspiradores contra a Democracia pudessem em sua liberdade reorganizar a quadrilha socialista com seu chefe maior, o “Daniel” (codinome de Zé Dirceu) buscando a tomada do poder usando das instituições. Assim se justifica o fato de que o ministro que Roberto Jefferson aponta como “Boca de Veludo” exigiu do Congresso a abertura da CPI da Covid e quem sabe até indicando o famoso G7 que se encontra na mau fadada Comissão comandada pelo corrupto Omar Aziz e  não muito menos, aliás muito mais Renan Calheiros.

A CPI já tem muitos nomes que não do Covid, pois o que menos faz é realmente buscar esclarecer ao povo onde foram parar bilhões que foram aos cofres de estados para equipar hospitais. Entender o contrato feito pelo governador de São Paulo com o laboratório chinês cerca de 6 meses antes da pandemia assim ser reconhecida e depois ser garoto propaganda da vacina chinesa sabe-se por que razões que certamente não seria o de salvar vidas.

Nas trapalhadas e encenações circenses da CPI o presidente desta protagonizou agressões profissionais médicos, a técnicos, a ministros e funcionários do Ministério da Saúde. É uma caçada ao presidente sem precedentes, algo que até mesmo um PM da ativa servia de vendedor de vacinas nas horas vagas, um deputado estelionatário leva o irmão funcionário em comissão a berlinda para fundamentar uma denúncia e mesmo assim a sanha de decretar a prisão de convocados se mantinha ávida até encontrar o funcionário Dias para a glória destes insanos. Foi o orgasmo político do G7, a tal ponto foi o regozijo de satisfação que o larápio Omar Aziz resolveu fazer ilações sobre as Forças Armadas gerando suspeições no alto comando. Uma pedrada que quebrou a vidraça e que precisou haver a repreensão pelo ato. Ontem mesmo as Forças Armadas e o Ministério da Defesa se pronunciou em nota sobre o ocorrido esclarecendo que:

“Essa narrativa, afastada dos fatos, atinge as Forças Armada de forma vil e leviana, tratando-se de uma acusação grave, infundada e, sobretudo, irresponsável.

A Marinha do Brasil, o Exército Brasileiro e a Força Aérea Brasileira são instituições pertencentes ao povo brasileiro e que gozam de elevada credibilidade junto à nossa sociedade conquistada ao longo dos séculos.”

Isto é o que diz parte da nota. Isto demonstra que a CPI usurpa de seu poder e suas ações ao longo dos depoimentos deixam claro a desmoralização do parlamento em ter elementos mais sórdidos da política nacional tratando de tão grave e importante assunto à nação. Em breve talvez não seja mais “Jesus na causa”, mas sim as Forças Armadas para o reequilíbrio dos poderes que firmam a Democracia no país.