Posse dos novos vereadores e do prefeito e vice eleitos em novembro foi marcada por discursos de otimismo e de vontade de trabalhar pela cidade. Algo que sempre ouvimos a cada posse de eleitos. A diferença está na mudança de equipe, na jovialidade da mesma e na real vontade de mostrar que a cidade pode, e, muito mais do que já tem.

Com um dos maiores orçamentos do Estado, Osório não avança na geração de empregos, no desenvolvimento do turismo e no atendimento à saúde. Manter a cidade limpa e organizada, bem como oferecendo segurança aos seus munícipes é obrigação, somadas a Educação e a Saúde. Maximizar os recursos é a maior dificuldade dos administradores diante da geração de empregos criando cargos públicos, mas deixando de lado a eficiência da máquina administrativa.

Gerar empregos e novas oportunidades de investimentos na cidade é um grande desafio e exige do administrador agilidade em respostas ao empreendedor às necessidades para sua instalação. Um exemplo é o caso de uma grande empresa que veio para Osório e se instalou na localidade do Capão da Areia. O investimento municipal foi de R$ 4 milhões para ceder a uma empresa e que esta pouco ficou a funcionar. Era a sonhada fábrica de plásticos com as instalações defronte ao depósito de lixo municipal e em estrada de chão batido. Felizmente uma empresa maior teve interesse, mas teve a garantia de cobertura na via de acesso e foi esquecida assim. Nem mesmo um quilômetro diante do empreendimento com cobertura asfáltica que resolveria em parte o problema foi realizado. Empreendedor não precisa de promessa, precisa de garantias para garantir retorno do empreendimento e dos propósitos a que veio à cidade.

Assim, a cidade já ouviu muitas ilações de grandes investimentos como Porto Seco, Pólo Metalmecânico, Cervejaria, fabricante de vidros e outros que foram parar em municípios vizinhos por aqui não encontrarem guarida ou a segurança para seus investimentos. Gerar empregos não se pode resumir a abrir lojas, supermercados e farmácias. É preciso trazer a indústria sem chaminé, a do Turismo. Mas há setores industriais que podem se desenvolver na cidade sem ameaçar nosso manancial hídrico (tudo indica que nossa estação de esgotos foi a mais poluente gerando a cianobactérias na lagoa dos Barros).

O novo prefeito tem sim de elaborar grandes projetos e buscar através dos canais políticos os recursos. Assim começa aqui no estado com o novo presidente da Assembleia Gabriel Souza na agilização de processos que venham a tramitar a nível de governo do Estado. Outro canal é o deputado Alceu Moreira, bem como Bibo Nunes, Danrlei, Pompeo de Matos e outros que admiram Osório e que podem contribuir para aceleração de recursos para investimentos em várias áreas, como se tem obtido para a melhoria do nosso Hospital de Osório.

Roger e Tressoldi precisam ter uma equipe de projetistas que avancem Osório no sentido do desenvolvimento e geração de empregos. Sem projeto não há possibilidade de verbas e isto tem de ser muito bem analisado, pois serão quatro anos para demonstrar que Osório podia mais, pode mais e que certamente terá muito mais. Avante Osório.