Neste sábado (6) é comemorado o Dia Nacional do Teste do Pezinho. A Triagem Neonatal ou Teste do Pezinho (como é conhecida popularmente) é responsável pela identificação precoce de seis doenças que podem levar, entre outros agravos, ao retardo mental grave e/ou óbito, se não ocorrer o diagnóstico e o tratamento em tempo hábil, das referidas doenças, que são assintomáticas no período neonatal. O Rio Grande do Sul se encontra na Fase IV do Programa Nacional de Triagem Neonatal (PNTN) do SUS/MS, triando, transportando as amostras dos 497 municípios gaúchos, realizando busca ativa dos testes alterados, fazendo confirmação diagnóstica e possibilitando o tratamento de: Hipotireoidismo Congênito, Fenilcetonúria, Anemia Falciforme e outras Hemoglobinopatias, Fibrose Cística, Hiperplasia Adrenal Congênita e Deficiência de Biotinidase. A cobertura da Triagem Neonatal pelo SUS gira em torno de 80% no RS.

“É uma ação preventiva que salva e muda a vida dos bebês. A data não pode passar em branco, pois a garantia de acesso à informação e à realização da Triagem Neonatal precisa estar ao alcance de todos, profissionais e população, para a garantia da eficácia dessa importante ação para a saúde das nossas crianças”, afirma a médica da Sociedade de Pediatria do RS, Célia Maria Boff de Magalhães.

Com o início do distanciamento social (medidas de isolamento) em março, por orientação do Ministério da Saúde e Estado do RS, visando à desaceleração de contaminação por Covid-19; o Serviço de Referência em Triagem Neonatal do Estado (SRTN/RS) observou que ocorreu uma diminuição importante de coletas de TP, nas Unidades Básicas do RS. Assim, a Política Estadual de Triagem Neonatal (PETN) do RS elaborou uma Nota Técnica orientando as maternidades do Estado, como alternativa, que coletassem o TP dos bebês- na alta do RN, pois as mães estavam evitando a ida à UBS, pelo receio da Covid-19.

Com a evolução do processo, observou-se que ocorreram muitas coletas antes das 24 horas de vida do recém-nascido (RN), aumentando a possibilidade de falso negativo. Assim, no último dia 25 de maio, a PETN/RS elaborou uma nova Nota Técnica do Teste do Pezinho na Vigência da Covid-19 onde refere, em relação à Coleta do TP no RS: A responsabilidade pela coleta do TP permanece das Unidades Básicas de Saúde (UBSs), sendo importante ressaltar que a coleta nas Maternidades é uma alternativa. As Maternidades podem continuar coletando o TP, desde que a coleta ocorra após as 48h de vida do recém-nascido. Do contrário, as mães devem ser orientadas a procurar a UBS para coleta do TP, do 3° ao 5° dia de vida do bebê.

As demais orientações quanto a Transporte das Amostras, Primeira Consulta no SRTN/RS/HMIPV para confirmação diagnóstica, Consultas de Acompanhamento, Solicitação de Exames e Fluxo de Distribuição do Insumo do TP permanecem inalteradas, conforme Nota Técnica de 25 de abril de 2020.

FOTO: SES