dilma_lulaA presidente Dilma Rousseff aceitou oferecer um ministério a Lula para evitar que ele possa ser preso na Operação Lava-Jato por uma decisão do juiz Sergio Moro. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

Ministros próximos a Dilma e ao ex-presidente teriam tentado convencê-lo a aceitar a oferta nesta terça-feira. No entanto, a publicação informa que Lula ainda resistia à ideia pelo menos até o início da noite desta terça-feira. Ele se encontrou com a presidente no Palácio do Alvorada para discutir as estratégias para impedir o avanço do processo de impeachment contra Dilma. Segundo o jornal, o tema foi abordado rapidamente durante o encontro, mas, mesmo antes de receber um convite de Dilma, Lula negou a intenção. No círculo próximo ao ex-presidente, assumir uma pasta agora seria interpretado como uma confissão de culpa.

A nomeação do petista para um cargo executivo daria a ele direito ao foro privilegiado. Com isso, poderia ser julgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que passaria a supervisionar também as investigações sobre ele — as quais, no momento, estão sob a jurisdição de Moro. Os trabalhos analisam se empreiteiras favoreceram Lula — por meio do sítio de Atibaia e do triplex no Guarujá —, o Instituto Lula e a empresa de palestras do ex-presidente, a ILS Palestras.

Depois de a informação relacionada ao petista ser divulgada, o debate sobre o tema ganhou espaço nas redes sociais e dividiu até mesmo a militância do partido. No Twitter, apoiadores do ex-presidente, como o ator José de Abreu, passaram a utilizar a hashtag #LulaMinistro em apoio à ideia. Outros simpatizantes do PT questionaram se a possível indicação ao ministério não seria uma espécie de confissão de culpa do petista, que foi alvo da 24ª fase da Lava-Jato na última sexta-feira.