Dos 18,5 milhões de brasileiros sem conta bancária que receberam a primeira parcela do auxílio emergencial de R$ 600 (R$ 1,2 mil para mães solteiras), até a manhã desta quarta-feira (6), 16,49 milhões resgataram o benefício. Segundo o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, aproximadamente dois milhões de pessoas que receberam o dinheiro nas contas poupanças digitais, ainda não o movimentaram.

A maior parte dos desbancarizados que fez o resgate optou por transferir o dinheiro para contas da Caixa em nome de parentes ou de amigos. Segundo Guimarães, 7,34 milhões fizeram essa opção, que, conforme explicou, equivale à retirada do auxílio. Uma hipótese para essa opção é de que a conta poupança digital permite transferências ilimitadas e sem custo para outras contas da própria Caixa.

Em segundo lugar, ficou o saque em dinheiro nas agências da Caixa, nos caixas eletrônicos ou em casas lotéricas, com 5,19 milhões de retiradas realizadas até às 14h de terça-feira (5). O número representa o contingente que tem ido aos pontos de atendimento nos últimos dias, fazendo longas filas.

Um total de 3,18 milhões de brasileiros transferiu o dinheiro da conta digital para contas de outros bancos por meio da Transferência Eletrônica Disponível (TED) ou do Documento de Ordem de Crédito (DOC). A conta poupança digital permite até três operações do tipo por mês. Por 90 dias, elas vão ser gratuitas.

Segundo a Caixa, 398,8 mil pessoas usaram a conta digital para pagarem contas domésticas (água, luz, telefone e gás), 333,1 mil pagaram boletos por meio do aplicativo Caixa Tem e apenas 38,6 mil optaram por receber o benefício em cartões de débito da bandeira ELO.

FILAS, PROBLEMA NO APLICATIVO E MAIOR ATENTIMENTO

Em entrevista coletiva para fazer um balanço do auxílio emergencial, o presidente da Caixa ressaltou que não há necessidade de as pessoas fazerem filas na madrugada nas portas das agências do banco. Na segunda (27) e na terça-feira (28) da semana passada, problemas tecnológicos atrapalharam os saques em espécie dos beneficiários nascidos de janeiro a abril, mas segundo Pedro Guimarães, “os imprevistos foram resolvidos e o fluxo de atendimento se normalizou”.

O banco reforçou a equipe com três mil funcionários para atender ao público nas agências com maior movimento e contratou 4,8 mil vigilantes e 889 recepcionistas. Além disso, o horário de atendimento tem sido maior para os funcionários conseguirem atender todas as pessoas.

CALENDÁRIO

Em relação ao calendário de pagamento da segunda parcela, a ser divulgado nesta semana, o presidente da Caixa disse ter recebido o aval do ministro da Economia, Paulo Guedes, para fazer o pagamento. Segundo Guimarães, ainda falta discutir o cronograma com o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, e com o presidente Jair Bolsonaro para divulgar as datas.

No próximo sábado (9) aproximadamente 2,1 mil agências da Caixa em todo o país vão abrir para fazerem atendimentos sobre o auxílio emergencial.

Foto: Omar Luz