Famílias ficaram ilhadas e pelo menos 300 delas tiveram que sair de casa após o Rio Mascarada ter atingido nível histórico na noite desta quinta-feira em Rolante, no Vale do Paranhana. A enchente ocorreu após chuvarada que levou ao rompimento de um açude, cuja influência ainda é apurada.

No fim da manhã desta sexta-feira, os moradores dos locais alagados começaram a retornar para casa. Os moradores trabalham para limpar as moradias e estabelecimentos comerciais que ficaram repletos de lama.

Desde a madrugada até o final da manhã, o principal acesso ao município, pela ERS-239, ficou interrompido pela água. Por volta de 10h30, a via foi liberada, assim como as demais ruas do município.

Segundo a Defesa Civil, famílias da região aguardaram resgate sobre telhados de residências, enquanto bombeiros de Rolante, Taquara, Igrejinha e Três Coroas tentavam chegar até os pontos mais críticos. Algumas quebraram o forro para se abrigar no telhado.

Não há registro de pessoas feridas nem desaparecidas. Conforme a Defesa Civil, há empresas com material danificado, inúmeros veículos foram levados pela força da água, pontes destruídas e plantações devastadas. Além disso, a estimativa é de que 90% dos animais da pecuária tenham morrido.

Conforme o comandante dos Bombeiros Voluntários de Rolante e coordenador da Defesa Civil do município, Leandro Gottschalk, o Rio Mascarada teve aumento influenciado pelo temporal que começou por volta das 16h e chegou ao ápice às 21h de quinta-feira. O problema teria sido agravado pelo rompimento do açude na localidade de Rincão dos Kroeff, em São Francisco de Paula.

Em alguns pontos da área central, a água chegou a 1,5 metro de altura. Por volta das 2h, o nível dos rios e dos alagamentos estava baixando segundo Gottschalk. Por questão de segurança, a RGE realizou o desligamento da energia elétrica em diversas áreas do município.

Não há registro de pessoas feridas nem desaparecidas. Conforme a Defesa Civil, há empresas com material danificado, inúmeros veículos foram levados pela força da água, pontes destruídas e plantações devastadas. Além disso, a estimativa é de que 90% dos animais da pecuária tenham morrido.

Conforme o comandante dos Bombeiros Voluntários de Rolante e coordenador da Defesa Civil do município, Leandro Gottschalk, o Rio Mascarada teve aumento influenciado pelo temporal que começou por volta das 16h e chegou ao ápice às 21h de quinta-feira. O problema teria sido agravado pelo rompimento do açude na localidade de Rincão dos Kroeff, em São Francisco de Paula.

Em alguns pontos da área central, a água chegou a 1,5 metro de altura. Por volta das 2h, o nível dos rios e dos alagamentos estava baixando segundo Gottschalk. Por questão de segurança, a RGE realizou o desligamento da energia elétrica em diversas áreas do município.

Gottschalk afirma que moradores de comunidades ribeirinhas foram alertados ao longo do dia sobre a possibilidade de enchente e conseguiram sair de casa a tempo. Não há ainda um balanço a respeito danos ou de famílias prejudicadas.

A água do Mascarada desemboca no Rio Rolante, que também teve o nível elevado, alagando a ERS-239 na localidade de Alto Rolante. O trecho afetado fica entre os quilômetros 75 e 80, no caminho entre Rolante e Riozinho. A interdição dos dois sentidos da rodovia começou por volta das 20h.