12401753_1271416856218805_951449680676181878_oPara um verão perfeito, fique atento as sinalizações de área imprópria para banho. Não coloque sua vida em risco.

Além dos salva-vidas, a praia conta com outra forma de orientação para seus frequentadores: as bandeiras
Nesta temporada, além das tradicionais amarela, vermelha e verde, que indicam as condições do mar.

Para melhor atender e orientar os banhistas sobre os cuidados que devem ter durante os momentos de lazer nos balneários, as guaritas terão salva-vidas treinados para guarnecer balneários, proteger banhistas e prevenir ocorrências de afogamentos.

A comunicação visual (bandeiras de guaritas) é uma das formas utilizadas, pelo salva-vidas, para orientar os banhistas. As bandeiras presentes nas guaritas, cujas cores indicam os cuidados necessários, é um dos mais tradicionais métodos utilizados.

A bandeira VERDE indica que o banho é praticável, em condições moderadas, a inexistência ou poucas formações de buracos, e correntes fracas ou inexistentes.

A bandeira AMARELA indica a necessidade de cuidados e atenção. Movimentos das águas com correntes médias e fortes, caracterizados pela formação de ondas médias e formação de buracos.

A bandeira VERMELHA indica maior risco, uma vez que as águas do balneário apresenta movimentos caracterizados por sucessivas ondas grandes, com formação de valas e forte correnteza.

A bandeira AZUL indica a existência de pessoa perdida. Esta bandeira é hasteada juntamente com a de outra cor que indica as condições de segurança no balneário.

As novas bandeiras

12615413_1019391064749711_1191190433257219027_oA bandeira PRETA indica risco de morte por afogamento ou por situações de perigo extremo, como tempestades e descargas elétricas. Será utilizada nos balneários quando o local e as condições de segurança sejam afetadas, recomendando o afastamento das pessoas.

A bandeira PÚRPURA indica a presença de animais marinhos que, em contato com as pessoas, atentam contra a integridade física dos usuários do balneário. Será utilizada nos balneários quando detectada a situação de risco, recomendando o afastamento das pessoas.

Texto: Ascom/CBM
Edição: Denise Camargo/Secom