O governo do Estado começou a pagar, na manhã desta quarta-feira, os salários dos funcionários terceirizados do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). A expectativa é de que até o final da manhã de hoje pelo menos 30% dos servidores tenham recebido os salários.
Apesar disso, o atendimento de chamadas de urgência para o número 192, do Samu, ainda não está normalizado. Na manhã de hoje, havia dois telefonistas, enquanto deveriam ter oito, e dois rádio-operadores, sendo que deveriam ter três.
• Municípios divulgam números alternativos para atendimento do Samu
A empresa FA Recursos Humanos mantém 150 funcionários telefonistas e rádio-operadores no serviço de regulação do Samu. Os servidores, no entanto, não recebiam os salários desde maio, o que levou a categoria a paralisar as atividades.
Na noite de segunda-feira, cerca de sete milhões de gaúchos ficaram quase cinco horas sem atendimento. O número de emergência, o 192, só funcionava na segunda-feira em Porto Alegre, Caxias do Sul, Bagé e Pelotas, que não estão interligados à Central do Estado. Na terça-feira, o atendimento foi feito de forma parcial com auxílio de servidores da prefeitura de Porto Alegre.
Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde ressaltou que “não houve nenhum registro de prejuízo à saúde dos usuários decorrente de problemas com o atendimento do Samu”.

 

 

CORREIO DO POVO