O governo do Estado, por meio da Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão (SPGG), efetuou o pagamento de R$ 15.323.225,67 (quinze milhões trezentos e vinte três mil duzentos e vinte e cinco reais e sessenta e sete centavos) relativos a 199 projetos da Consulta Popular, votados em 2018 e 2019. O destaque fica para a área da Saúde, com 166 projetos, mas a também há demandas de Segurança Pública, Desenvolvimento Econômico e Turismo e Trabalho e Assistência Social.

Os tópicos atendidos vão qualificar a infraestrutura turística, o reaparelhamento do Corpo de Bombeiros e Instituto-Geral de Perícias (IGP), a regionalização da Saúde e do Turismo, o programa Saúde da Família, o videomonitoramento e o cercamento eletrônico, assim como a reposição e renovação de materiais permanentes da Polícia Civil de diversas cidades gaúchas.

Cinco municípios do Litoral Norte vão ser contemplados. São eles: Caraá, Cidreira, Dom Pedro de Alcântara, Santo Antônio da Patrulha e Tramandaí. Ao todo a região vai receber mais de um milhão de reais, dinheiro esse que vai ser destinado as áreas da saúde,  infraestrutura, e capacitação profissional.

Na área da Saúde, o Hospital de Tramandaí vai receber o valor de R$ 165.920,04 (cento e sessenta e cinco mil novecentos e vinte reais e quatro centavos). O valor vai ser destinado a compra de equipamentos. Também na área da Saúde, a cidade de Santo Antônio da Patrulha vai receber aproximadamente R$ 340,6 mil, dinheiro esse destinado a aquisição de uma van (aproximadamente R$ 200,6 mil) e uma ambulância (R$ 140 mil).

Santo Antônio também vai receber a quantia de R$ 338.608,68 (trezentos e trinta e oito mil seiscentos e oito reais e sessenta e oito centavos) para ser aplicada na infraestrutura turística do município. Já em relação a capacitação e qualificação profissional, três cidades vão ser beneficiadas: Caraá (R$ 72.369,00), Cidreira (R$ 59.565,00) e Dom Pedro de Alcântara (55.911,00).

A seguir veja como funciona a Consulta Popular:

Passo a passo da Consulta Popular

1. A população elege a demanda;

2. O governo do RS, por meio da SPGG, inclui a verba correspondente no Orçamento do Estado;

3. A prefeitura, entidade ou consórcio beneficiado com a demanda eleita elabora um plano de trabalho para executá-la;

4. O governo analisa a viabilidade técnica e autoriza o plano de trabalho do projeto;

5. O projeto eleito pela população é executado (com acompanhamento do governo e dos Conselhos Regionais de Desenvolvimento – Coredes).