Nessa terça-feira (2) é comemorado o Dia de Nossa Senhora dos Navegantes. Durante essa data, fiéis católicos e umbandistas aproveitam o dia para realizar celebrações e homenagens a Nossa Senhora dos Navegantes e Iemanjá, respectivamente. Porém, devido a pandemia causada pelo novo coronavírus, as comemorações precisaram ser alteradas.

No último sábado (30/01), o Governo do Estado publicou um novo Decreto (no 55.736) com as novas medidas de Distanciamento Controlado. Entre as novas medidas está a determinação de interditar todas as praias do Litoral e as águas internas (rios e lagoas) do Estado das 18h de segunda-feira (1º) até as 8h de hoje (terça-feira). O decreto ainda proíbe aglomerações com mais de 10 pessoas em todas as celebrações religiosas para qualquer bandeira.

As medidas foram discutidas entre o governador Eduardo Leite e líderes de diferentes credos na manhã da última sexta-feira (29/01). Além das regras sujeitas à fiscalização, entidades representantes de religiões de matriz africana e católica definiram agir juntos, no sentido de conscientizar os fiéis a seguirem os protocolos, protegendo, principalmente, os mais idosos, que são a maioria em muitas das celebrações religiosas.

DECRETO SURPREENDE PREFEITOS

A decisão do Governo do Estado de interditar as praias do Litoral durante o feriado religioso surpreendeu os prefeitos da região. “Fomos pegos de surpresa, até porque estamos na melhor fase em relação à Covid-19 dos últimos 30 ou 40 dias. Mas também não sabemos com que força isso vai voltar”, declarou o prefeito de Itati e presidente da Associação dos Municípios do Litoral Norte (Amlinorte), Flori Werb.

De acordo com o prefeito de Xangri-lá, Celso Barbosa, a decisão do governo foi mais um “ato de publicidade”. “Nós, em Xangri-lá, nem temos festa de Iemanjá, não interfere. Mas as pessoas ficam na praia até mais tarde. Não precisa começar essa proibição às 18h, pois as festas nem começam nesse horário. E, aliás, antes das 18h não pega Covid-19?”, questionou o prefeito.

CONFUSÃO NOS COMÉRCIOS

O setor de hotelaria e alimentação do Litoral Norte avaliou que o decreto do governo só causou confusão entre os veranistas trazendo pouco resultado na prática para combater o Coronavírus. A presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do Litoral Norte, Ivone Ferraz, avaliou a medida como “desnecessária” e imprópria para o momento.

“Muitas pessoas acharam que a medida valia para o dia inteiro, não só para o período da noite, basicamente. Além disso, achamos que, na prática, o decreto não teve efeito porque envolve uma questão de religiosidade. Então, apenas criou confusão e não foi seguido a risca”, declarou Ivone. Conforme a entidade, os hotéis do litoral gaúcho estão com cerca de 80% das vagas ocupadas para o feriado. Em anos normais, sem o impacto da pandemia, costuma haver fila de espera por um quarto neste período.

NOVAS MEDIDAS

Como os líderes religiosos já haviam cancelado procissões e excursões em grupo e optado por realizar carretas em homenagem à Iemanjá e Navegantes, o decreto também estabelece regras para esse tipo de atividade, permitindo que as pessoas fiquem exclusivamente dentro dos veículos.

Missas e serviços religiosos seguem permitidos desde que obedeçam ao limite de 50% de público na bandeira amarela, 30% na bandeira laranja e 20% ou, no máximo, 30 pessoas na vermelha (caso do Litoral Norte). Em todos os níveis, a ocupação de assentos deve ser intercalada, respeitando o distanciamento mínimo de um metro entre pessoas e/ou grupos de coabitantes. Além disso, o uso de máscaras é obrigatório. A seguir veja as principais medidas:

Todas as datas religiosas – Estão proibidas festas, festejos e procissões religiosas ou similares, em ambiente público ou privado, aberto ou fechado;

São permitidas manifestações individuais ou em grupo de no máximo 10 pessoas, com uso obrigatório de máscara e distanciamento interpessoal de no mínimo um metro;

Carreatas serão permitidas, mas com permanência das pessoas exclusivamente no interior dos veículos;

As aglomerações com mais de 10 pessoas ficam sujeitas à fiscalização e dispersão por parte das autoridades competentes.

Para Navegantes e Iemanjá – Determina a interdição de todas as praias do Litoral e das águas internas do Estado (rios e lagoas), das 18h do dia 1° (segunda-feira) às 8h do dia 2 de fevereiro (terça-feira).

CELEBRAÇÕES

Em Tramandaí, a tradicional procissão em homenagem a Nossa Senhora dos Navegantes não vai ser realizada. Nessa terça-feira (2), vão ser realizadas duas missas, às 8h e às 18h, na Igreja Nossa Senhora dos Navegantes, localizada na Rua Sahydi Abraão, 245, no Centro de Tramandaí. Para não haver aglomerações todas as missas vão ser transmitidas na página do Facebook da Paróquia Nossa Senhora dos Navegantes (www.facebook.com/paroquiatramandai).

Já as homenagens à Iemanjá, vão ocorrer por meio de uma carreata organizada pela Federação Afro Umbandista e Espiritualista do Rio Grande do Sul. A imagem de Iemanjá, com 2,3 metros de altura, sairá do Santuário Sincrético Ecológico, da Praia do Paquetá, em Canoas (na região Metropolitana), passando pelas praias de Balneário Pinhal e Cidreira até chegar em Torres.

Foto: Divulgação