O Conselho Consultivo do Hospital e a comunidade receberam a notícia de que o Instituto de Administração Hospitalar e Ciência da Saúde – IAHCS rescindiram o contrato que estipulava a administração geral do Hospital pela contratada.

O contrato foi assinado no ano passado, depois de mais de um ano de análise por parte dos conselheiros e associados das mais diferentes empresas que se propunham a fazer a gestão do Hospital que se encontrava sob intervenção municipal.

Depois de várias prorrogações do decreto municipal de intervenção, o conselho do Hospital definiu pela contratação do IAHCS para a gestão total do Hospital e para que o contrato fosse celebrado, foi eleito como presidente do Hospital Marco Aurélio Pereira, então presidente do Conselho Consultivo da entidade mantenedora.

Pelo contrato de prestação dos serviços de gestão o Hospital pagaria a quantia mensal de R$ 50 mil, até que os parâmetros de produtividade e de redução do déficit operacional e balanço financeiro permitissem ampliar a remuneração.

Pelo período até agora houve várias alterações e cortes de despesas, bem como do recebimento de recursos vindos da Prefeitura em razão dos serviços prestado de urgência e emergência, agora realizados pela UPA 24hs.

Com a queda de serviços hospitalares em geral decorridos da pandemia foram realizadas avaliações para ver da viabilidade do prosseguimento do contrato de gestão e sua viabilidade financeira. Assim sendo, o presidente do Hospital informou que “conforme deliberação da Diretoria realizada virtualmente no dia 12 de maio, por meio do whatsApp, na última sexta feira dia 22 de maio, foi efetuada a rescisão de forma amigável com o IACHS (empresa até então administradora do hospital) sob a necessidade de corte de despesas em decorrência da queda de receita em relação aos serviços prestados a pacientes particulares e convênios. A rescisão foi retroativa ao dia 15 de maio.

 A Direção procederá na contratação de um administrador, dispondo de valor bastante inferior ao que vinha sendo adimplido à empresa. Não haverá alteração na forma da administração seguindo a mesma diretoria tendo como Diretor Presidente Marco Pereira.”

Desta forma os trabalhos continuarão sendo realizados, bem como a prestação de serviços e a constante busca por melhorias com a ajuda da comunidade. A rescisão contratual visou única e exclusivamente a contenção de despesa que chegará ao valor nomina de R$ 35 mil reais, segundo informou o presidente do Hospital Marco Pereira.