Quatro dias após ter sido destelhado pela ventania provocada pelo ciclone-bomba na madrugada da última quarta-feira (1), o Hospital de Tramandaí reabriu a área que havia sido interditada. A enfermaria, reativada entre sábado (4) e domingo (5), conta com 10 leitos e abriga pacientes pré e pós-cirúrgicos. O hospital, administrado pela Fundação Hospitalar Getúlio Vargas, é o único da cidade.

As telhas começaram a ser levadas pelo vento por volta das 4h e 30min da última quarta, quando fortes rajadas atingiram o hospital. Com isso, o telhado ficou descoberto e começou a chover em seis quartos. Seis pacientes precisaram ser removidos às pressas para outras áreas do prédio. Felizmente ninguém ficou ferido.

O vento de quase 100 quilômetros por hora (km/h) acabou arrancando aproximadamente 300 metros quadrados do telhado do hospital. Nos quartos atingidos, era possível ver vidros quebrados e colchões e cobertores encharcados. Com o destelhamento, a água escorria pelas luminárias e calhas e se acumulava no chão. Cinco dos seis quartos já estão sendo utilizados, e apenas um seguirá em reforma nos próximos dias. No entanto, todos os 10 leitos já foram reativados e estão disponíveis para receber pacientes.

“Organizamos os leitos e eles estão distribuídos nos cinco quartos. O sexto quarto deve ser liberado em dois ou três dias, mas agora é um detalhe. O importante é que, neste período em que os leitos estavam perdidos, não foi preciso recusar atendimento”, destaca o administrador do hospital, Luís Genaro Figoli.

Só foi possível concluir a reforma em tão poucos dias porque a comunidade doou material de construção. Além disso, as prefeituras de Tramandaí e de Imbé colocaram funcionários à disposição para acelerar o serviço, sem contar a participação das equipes de manutenção do Hospital. Na manhã do ocorrido, equipes das prefeituras dos dois municípios já iniciaram a limpeza da área e a avaliação dos estragos. A partir daí Figoli iniciou uma mobilização nas redes sociais, solicitando o apoio da sociedade, o que foi fundamental para a reconstrução do Hospital de Tramandaí, em tão pouco tempo.

“Foi uma mobilização fantástica, que em menos de um dia, permitiu a arrecadação de materiais de construção e dos recursos suficiente para o conserto”, afirmou o administrador do Hospital. Segundo Figoli, as doações somaram aproximadamente R$ 30 mil em materiais de construção edinheiro.Vale ressaltar quea área externa do telhado segue com reparos por alguns dias, mas apenas para o serviço de acabamento.

Fotos: PMI / Lauro Alves

Ventos de quase 100km/h acabou arrancando aproximadamente
300 metros quadrados do telhado do hospital