MD_20151105150513ipergs_servidoresO Instituto de Previdência do Estado do Rio Grande do Sul (Ipergs) atua, desde abril deste ano, com determinação para melhorar os atendimentos nos municípios, com a regularização dos contratos com as prefeituras, câmaras municipais e demais órgãos. Esses contratos, em 2013 e 2014, tiveram apontamentos da CAGE e do Tribunal de Contas do Estado por estarem acima do nível de risco de sinistro permitido que é de 85%. O presidente do Instituto, José Parode, ressalta a importância da regularização dos 141 contratos que foram apontados.

No total, 106 contratos foram regularizados inicialmente e 35 obtiveram liminares judiciais. Todos os contratos foram informados da necessidade em atualizar suas alíquotas de contribuição para o IPE-Saúde. Dos que obtiveram liminares judiciais, 19 já regularizaram a situação junto ao Ipergs, pois tiveram a liminar cassada pela Procuradoria Geral do Estado (PGE) ou desistiram da ação judicial.

Para o presidente do Instituto, a regularização de contratos demonstra a busca pela qualificação e pela sustentabilidade do sistema IPE-Saúde. “Precisamos garantir o futuro do nosso plano e, para isso, os apontamentos fizeram com que os cálculos fossem refeitos e atualizados conforme a realidade financeira e atuarial de todos os municípios parceiros do Ipergs”, comentou Parode.

Foco na manutenção do atendimento no interior

Para capacitar os atendimentos prestados nos escritórios do IPE no interior, em julho deste ano, a administração nomeou novos coordenadores do quadro de funcionários do Ipergs para atuar nos escritórios das cidades de Alegrete, Bagé, Cachoeira do Sul, Camaquã, Carazinho, Caxias do Sul, Cruz Alta, Gravataí, Montenegro, Osório, Pelotas, Rio Grande, Santa Cruz do Sul, São Leopoldo e Uruguaiana. Algumas dessas cidades estavam com atendimentos interrompidos ou em funcionamento parcial, como é o caso também de: Canguçu, Ibirubá, Dom Feliciano e São José do Norte, que também estão regulares.

Também está sendo firmada parceria com as prefeituras para a cedência de funcionários municipais para o atendimento nas agências do IPE locais, sem ônus para o Instituto. Atualmente, 58 profissionais municipais estão cedidos para atenderem os beneficiários. Há a previsão de novas cedências ainda em 2015, dando continuidade ao foco na disposição de manter o atendimento para os beneficiários de todas as regiões. Desde o início desta gestão, mais de 25 cidades tiveram o atendimento retomado ou normalizado.

Texto: Shana Rocha Nazário/Ascom Ipergs