A Justiça condenou cinco homens responsáveis pela morte do Policial Militar (PM) Thales Ferreira Floriano, em seis de agosto de 2016, na cidade de Cidreira. Depois de aproximadamente 15 horas de julgamento, a sentença foi dada na madrugada desta quarta-feira (7), pelo juiz da 1ª Vara Criminal da Comarca de Tramandaí, Gilberto Pinto Fontoura, após a decisão do júri popular.
Todos os réus foram condenados por homicídio duplamente qualificado, por outras 11 tentativas de homicídio duplamente qualificado e por duas violações de domicílio triplamente qualificado. As penas variam de 84 a 102 anos de prisão.
OS CONDENADOS
Mário Josias da Costa Trein: 102 anos e oito meses de reclusão em regime fechado e mais dois anos e oito meses de detenção no semiaberto;
Maycom Leiria da Silva: 102 anos e oito meses de reclusão em regime fechado mais dois anos e oito meses no semiaberto;
Cássio Rodrigues dos Santos: 93 anos e quatro meses de prisão em regime fechado e mais dois anos e quatro meses em semiaberto;
Anderson Rodrigues Duarte: 84 anos de prisão em regime fechado e mais dois anos em regime aberto;
Lucas Leiria da Silva: 84 anos de prisão em regime fechado e mais dois anos em regime aberto.
O CRIME
Conforme a denúncia do Ministério Público (MP), Thales foi morto quando ele e os colegas intervieram em uma ocorrência de invasões de imóveis no bairro Chico Mendes, em Cidreira. No local, estava ocorrendo uma disputa por pontos de tráfico de drogas, devido a morte do líder do tráfico (dias antes), em Viamão, na região Metropolitana do Estado.
Ainda, de acordo com o MP, quando os PMs avançaram entre as ruas Treze e Quatorze, os criminosos, que acompanhavam a movimentação da polícia, passaram a atirar. Thales, na época com 31 anos, foi atingido com um disparo na cabeça. Ele chegou a ser socorrido, porém chegou sem vida ao Hospital da região.
A VÍTIMA
Natural de Tramandaí, Thales era formado em Educação Física e policial militar desde 2009. O soldado é filho de Roberto Floriano, que foi secretário da prefeitura de Tramandaí, e de Isabel Floriano, professora aposentada. Ele deixou a esposa e uma filha.
O PM chegou a receber um reconhecimento de honra ao mérito por uma ocorrência em que, mesmo ferido, conseguiu deter um criminoso. Segundo informações, ele teria sido atingido com golpes, que lhe causaram lesão no rim, mas resistiu à dor e prendeu um homem por porte ilegal de arma.
FOTO: Divulgação