A região de Capão da Canoa (R04 e R05), a qual abrange os 23 municípios do Litoral Norte vai ficar em bandeira vermelha na primeira semana de 2021. Essa é oitava semana consecutiva que a região permanece com a mesma bandeira. Segundo o mapa da 35a semana do Distanciamento Controlado, além do Litoral, outras 12 regiões do Estado estão com risco alto para a proliferação do novo coronavírus. Apenas uma região está em bandeira preta (risco altíssimo para a proliferação da Covid-19): Bagé (R22). Outras sete estão em bandeira laranja (risco médio). O Estado não possui nenhuma região em bandeira amarela (risco baixo para proliferação do Coronavírus).

Segundo o governo do Estado, houve redução no número de confirmados em leitos clínicos (-14%) e em UTI (-2%). Óbitos apresentaram elevação de 3% (de 456 para 469). Contabilizando os pacientes internados por outras causas, nesta semana, houve novamente estabilidade no número de leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) ocupados. Com a abertura de leitos e a redução dos confirmados com Covid-19 em UTI, houve elevação na razão de leitos livres para cada ocupado por Covid-19 para 0,55.

Implementação da salvaguarda de bandeiras vermelha e preta

A partir desta semana, o Distanciamento Controlado utiliza uma nova regra que garante bandeiras de risco alto e altíssimo (vermelha e preta) quando a região tem elevada quantidade de novas hospitalizações de pacientes confirmados com Covid-19 (conforme a região de residência do paciente) e, ao mesmo tempo, está inserida em uma macrorregião com baixa capacidade hospitalar. Esse refinamento no modelo é necessário pois, quando a capacidade hospitalar está próxima do limite, os indicadores de “velocidade do avanço” e de “variação da capacidade de atendimento” se tornam prejudicados – uma vez que, mesmo havendo demanda por leitos, eles podem não ser preenchidos devido à lotação das áreas Covid dos hospitais. Esse aprimoramento visa melhor refletir e evitar o esgotamento de leitos.

A NOVA REGRA IMPÕE

Garantia de bandeira vermelha se ambas condições forem satisfeitas:

• O Indicador 6, hospitalizações para cada 100 mil habitantes da região, apresentar bandeira vermelha ou preta;

• O Indicador 8, leitos livres/leitos Covid da macrorregião, estiver menor ou igual a 0,8.

Garantia de bandeira preta se ambas condições forem satisfeitas:

• O Indicador 6, hospitalizações para cada 100 mil habitantes da região, apresentar bandeira preta;

• O Indicador 8, leitos livres/leitos Covid da macrorregião, estiver menor ou igual a 0,3.

LITORAL NORTE

Dos seus quatro indicadores regionais, Capão da Canoa alcançou classificação de risco máximo (bandeira preta) em dois deles. É o caso do número de hospitalizações por Covid-19 para cada 100 mil habitantes e da projeção de óbitos. Os indicadores do número de hospitalizações por Covid-19 nos últimos sete dias e do estágio de evolução da doença obtiveram bandeiras amarela e laranja, respectivamente.

Houve redução nos registros de hospitalizações para Covid-19 nos últimos 7 dias, que passaram de 48 para 31 registros nesta semana, queda de 35%. Com o registro de 39 óbitos nos últimos sete dias, houve forte aumento de 77% em relação aos registrados na semana anterior (22 óbitos). Nas três últimas semanas, acumulam-se 96 óbitos na região. No caso do indicador de Ativos sobre Recuperados, a região registrou 1.135 ativos e 4.954 recuperados. Com isso, a razão entre as duas variáveis ficou em 0,23, uma melhora em comparação a mensuração anterior, que estava em 0,35. Destaca-se que a quantidade de hospitalizações em proporção da população reduziu 35%, porém segue bastante elevada, refletindo na bandeira preta para o indicador de incidência na região. São 7,79 novas hospitalizações confirmadas para Covid-19 para cada 100 mil habitantes.

Todos os 23 municípios da região tiveram registro de óbito ou hospitalização de moradores nos últimos 14 dias. Portanto, nenhuma cidade da região (incluindo Osório) vai poder adotar as medidas da bandeira laranja, por meio da regra 0-0. As novas medidas começam a valer a partir dessa terça-feira (5) e seguem válidas até a próxima segunda (11).

PRINCIPAIS DADOS DA 35ª RODADA

▪ Número de novos registros semanais de hospitalizações confirmadas com Covid-19 reduziu 32% entre as duas últimas semanas (de 1.175 para 794);

▪ Número de internados em UTI por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) reduziu 4% no Estado entre as duas últimas quintas-feiras (de 1.148 para 1.104);

▪ Número de internados em leitos clínicos com Covid-19 no RS reduziu 14% entre as duas últimas quintas-feiras (de 1.243 para 1.073);

▪ Número de internados em leitos de UTI com Covid-19 reduziu 2% entre as duas últimas quintas-feiras (de 979 para 956);

▪ Número de leitos de UTI adulto livres para atender Covid-19 aumentou 8% entre as duas últimas quintas-feiras (de 489 para 530);

▪ Número de casos ativos reduziu 16% entre as últimas semanas consideradas (de 39.719 para 33.412);

▪ Número de registros de óbito por Covid-19 aumentou 3% entre as duas últimas quintas-feiras (de 456 para 469).

LEGENDA MAPA

Bandeira Laranja: Região de Santa Maria (01 e 02); Uruguaiana (03); Taquara (06); Novo Hamburgo (07); Guaíba (09); Cruz Alta (12) e Erechim (16).

Bandeira Vermelha: Regiões de Capão da Canoa (04 e 05); Canoas (08); Porto Alegre (10); Santo Ângelo (11); Ijuí (13); Santa Rosa (14); Palmeira das Missões (15 e 20); Passo Fundo (17 a 19); Pelotas (21); Caxias do Sul (23 a 26); Cachoeira do Sul (27);Santa Cruz do Sul (28) e Lajeado (29 e 30).

Bandeira Preta: Região de Bagé (22).