De acordo com o Corpo de Bombeiros Militar (CBM), desde o início da Operação Verão, no dia 19 de dezembro de 2021, houve 22 mortes por afogamento no Estado, sendo dois no Litoral Norte: em Balneário Pinhal e Cidreira. O número é 22% maior do que na temporada passada, quando os guarda-vidas haviam registrado maior circulação de pessoas na areia ou entrando na água. O alerta é grande porque, do total de casos, apenas dois foram em áreas com guaritas. Além disso, os salvamentos estão 36% maiores.

Nos mesmos 16 primeiros dias da temporada passada, houve 17 mortes por afogamento em áreas com atuação de guarda-vidas e uma nos locais com guaritas. Naquela época, este óbito foi em uma praia na região chamada pelos bombeiros de águas internas. O major Isandre Antunes, chefe de operações do Corpo de Bombeiros no Estado, diz que os banhistas estão mais imprudentes, muitos deles saindo dos locais em que houve alerta de aglomeração e indo para pontos sem guaritas.

“O que estamos verificando atualmente é que estas aglomerações estão nos prejudicando inclusive na visibilidade em relação aos banhistas em áreas de risco. Além disso, agora, quando diminuiu significativamente a presença de pessoas na faixa da orla, principalmente, há maior incidência de casos imprudentes, fazendo com que aumente a nossa prevenção e essas pessoas estão se arriscando em áreas sem a nossa proteção”, alerta Antunes.

É válido relembrar que houve uma diminuição de guaritas nas praias da região. Ao todo, 30 guaritas de guarda-vidas foram desativadas por conta de problemas estruturais, já que elas foram danificadas após ressacas e não receberam manutenção a tempo para o verão. Por esse motivo, esses locais não vão ter a cobertura de agentes da Operação Verão de forma fixa. Segundo o Corpo de Bombeiros, a manutenção e cuidado com as guaritas são de responsabilidade das prefeituras municipais.

Não bastasse isso, houve a queda no número de guarda-vidas, passando de 1.040, para 1.025 nesse verão. No entanto, o major Antunes afirma que essa diferença não vai interferir no atendimento aos banhistas, visto que inúmeros balneários e praias estão fechadas em função da pandemia.

Salvamentos

O aumento de ocorrências foi de 36% nesta temporada, com 162 casos contra 119 no período anterior. O maior número de resgates foi no Litoral Norte, com 124. Em relação ao Verão passado, houve um aumento de mais de 144%. No Litoral Sul também houve aumento significativo dos casos, passando de sete para 25. Já nas águas internas, houve diminuição de 50% no número de salvamentos, caindo de 26 para 13.

Até o último domingo (3), os guarda-vidas localizaram 66 pessoas desaparecidas na beira da praia e fizeram mais de 54 mil ações preventivas, sendo 34.980 ações em praias do Litoral Norte. Em relação a lesões com água-viva, até o momento, houve o registro de 2.904, sendo a maioria delas aqui na região. Já são 2.465 casos, sendo em sua maioria registrados em: Torres (496), Capão da Canoa (461) e Imbé (419). Também foram confirmados casos em Arroio do Sal (302), Tramandaí (264), Xangri-lá (253), Cidreira (99), Balneário Pinhal (92) e Palmares do Sul (79).

Antunes destaca que o foco é o resgate de pessoas na água e o trabalho preventivo. Mas, todo o efetivo está orientado a alertar e informar sobre aglomerações. Se houver insistência, a Brigada Militar ou Guarda Municipal serão acionadas. No Ano-Novo, houve vários casos, principalmente em Xangri-lá, Capão da Canoa e Imbé. No entanto, o major dos Bombeiros ressalta que não é feito levantamento sobre estes alertas.

NOVOS EQUIPAMENTOS E AMPLIAÇÃO DO EFETIVO

Na última quarta-feira (30/12/2020), o Litoral recebeu o reforço de 170 novos guarda-vidas civis temporários do CBM, agora aptos para atuar durante a Operação RS Verão Total. A solenidade foi na sede do 9º Batalhão de Bombeiro Militar (9º BBM), em Tramandaí. Participaram o governador em exercício, Ranolfo Vieira Júnior, o comandante-geral do CBM do RS, coronel César Eduardo Bonfanti, e o prefeito de Tramandaí, Luiz Carlos Gauto.

Com a conclusão do curso de Guarda-vidas Civil Temporário, os 170 profissionais atuarão nas atividades de salvamento e prevenção de afogamentos. Os formandos se unem aos 275 guarda-vidas civis temporários que já efetuaram o curso em anos anteriores e tiveram a revalidação do vínculo com o CBMRS. Ao todo, 445 guarda-vidas civis temporários estarão à disposição da Operação RS Verão Total 2020/2021 – um recorde dentro do processo seletivo que ocorre anualmente. Os novos guarda-vidas civis vão atuar tanto em águas abrigadas como no mar. Deste efetivo de 170 profissionais, 125 vão trabalhar no Litoral Norte.

Além dos novos guarda-vidas, foram entregues pelo governo do Estado cinco novas motos aquáticas. Ao todo, são 14 equipamentos empregados no atendimento nas guaritas. Os veículos reforçam o efetivo nas praias de Quintão (Palmares do Sul), Capão Novo (Capão da Canoa), Arroio do Sal, Nova Tramandaí (Tramandaí) e Xangri-lá. Os profissionais à beira-mar terão apoio de 15 quadriciclos, ampliando a capacidade de atendimento na operação.

Foto: Rodrigo Ziebell


There is no ads to display, Please add some