12211199_1648026318776036_763498197_oOSÓRIO – A impunidade vista a cada dia a partir dos exemplos vindos de Brasília também reflete nas comunidades. Sabedores do desarmamento da população os meliantes, armados assaltam a qualquer hora do dia e de cara limpa sabendo de seus “direitos”. Polícia e a Brigada Militar se restringem a comunicar as vítimas que a prisão somente ocorre sob flagrante e que mesmo assim são liberados antes mesmo das vítimas deporem sobre o caso. O Mercado Motta localizado no bairro Caravággio é um exemplo do que a impunidade leva aos drogados e assaltantes a praticarem no comércio e em residências conhecendo a fragilidade e a impotência diante de um crime contra sua propriedade e família. Há um ano o estabelecimento foi assaltado à tarde por dois elementos armados, levando dinheiro e mercadorias. Poucos meses depois foram três elementos também armados com armas de fogo que adentraram ao recinto e novamente novo prejuízo. Mais um mês se passou e mais outro assalto com arma de fogo. Passado mais algum tempo cinco elementos armados realizaram o assalto que “felizmente” não houve prejuízos às pessoas e novamente mercadorias e dinheiro se foram. No quinto assalto um homem portando um facão adentrou no local, ameaçou os proprietários e novamente dinheiro e mercadorias se foram. Desta vez o ladrão vendo que o estabelecimento possuía grades entrou pelos fundos por uma janela por volta das 5h40min e com o auxílio de um isqueiro foi procurando por dinheiro e mercadorias. Desconhecendo haver câmeras de vigilância o meliante foi filmado na sua ação em que levou uma pequena quantia em dinheiro, várias barras de chocolate e cicletes e outras guloseimas. Foram quase 15 minutos no interior do mercado, mas deixando um prejuízo de mais de quinhentos reais entre dinheiro e mercadorias.

 

A proprietária disse que apresentou as imagens aos policiais, mas nada poderiam fazer. O esposo que identificou o meliante inclusive viu o mesmo se desfazendo das mercadorias no bairro Medianeira que vendeu a outros comércios. Acreditam que o indivíduo estava a conseguir dinheiro para comprar drogas. Alertados os policiais de onde estava vendendo as mercadorias disseram que o indivíduo poderia alegar que as mercadorias não eram do estabelecimento e que os proprietários podem até responder por falsa acusação caso o ladrão ingressasse na Justiça. “Não tem o que a gente fazer, sabemos quem é, assim como a polícia sabe, mas dizem que não podem prender e que mesmo que o pegássemos dentro do mercado seria furto simples pois não houve agressão física ou ameaça a vida. Ficamos impotentes vendo nosso patrimônio ser levado, gastar mais ainda com grade e câmeras para ao menos podermos trabalhar”, reclama a proprietária indignada com os fatos e as considerações dos policiais.

Situações como esta, estão presentes diariamente e a população a cada dia se tranca mais dentro de casa para pretensamente considerar que esteja segura, mas se houver invasão todos ficam a mercê dos bandidos. Caso o assaltante seja morto o proprietário é que termina respondendo pela morte de quem poderia ter-lhe tirado a vida.