O Ministério Público (MP) da cidade por meio do promotor de Justiça Leonardo Chim Lopes, encaminhou ao Executivo municipal o pedido de proibição da venda e consumo de bebidas alcoólicas no Largo dos Estudantes Sônia Chemale. A recomendação também encaminhada a Brigada Militar e ao Conselho Tutelar do município, ocorre após a agressão a uma mulher e um jovem na madrugada do último domingo (3).

Segundo informações, a vítima que é proprietária de um estabelecimento localizado no Largo teria sido agredida junto com seu filho, após pedir que um grupo de jovens baixasse o som devido a música muito alta estar atrapalhando os clientes.

A empresária relatou que problemas como esse existem há cerca de um ano e meio, mas que infelizmente, dessa vez acabou em agressão. Nesse período foram cobradas (diversas vezes) para que os órgãos públicos tomassem alguma providência em relação ao barulho e ao consumo de bebidas alcoólicas no local, porém nada foi feito para resolver o problema.

Dois agressores foram identificados pelas imagens de segurança do local, porém até o momento eles continuam soltos.

Segundo o promotor, o pedido já estava pronto e o ocorrido no Largo apenas reforça a preocupação do MP com a segurança dos cidadãos que frequentam o local. O pedido entregue aos órgãos é para que haja um aumento nas “atividades de fiscalização, principalmente nas sextas e sábados a noite e na véspera de feriados, quando há uma aglomeração maior no Largo”, declarou Lopes.

Leonardo lembrou que o local é utilizado com frequência para diversos eventos da cidade e que o consumo de drogas, bebidas e a música alta acabam impossibilitando que famílias e pessoas de bem possam frequentar o lugar que é “público e deveria ser de todos”.

VALE RESSALTAR

O pedido do Ministério Público foi baseado em uma Lei que existe há alguns anos em Porto Alegre, a qual proíbe a venda de bebidas alcoólicas a partir da uma hora da manhã. É válido lembrar que a Câmara de Vereadores de Osório votou contra o Projeto de Lei do vereador Beto Gueiê, que pedia a proibição da venda e consumo de bebida alcoólica em alguns locais do Centro da cidade, entre eles o Largo dos Estudantes.