Mulher é presa após praticar injúria racial contra funcionária do Samu

Uma profissional do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi vítima de injúria racial. O caso aconteceu no início da tarde de segunda-feira (20), durante uma ocorrência na cidade de Tramandaí. Segundo a vítima, o Samu, assim como a Brigada Militar (BM), foi acionado para atender uma mulher que estava em surto em um endereço na Rua Claiton Hoffmeister, no bairro Indianápolis.

 Já dentro da ambulância, a mulher reagiu a tentativa de imobilização, quando teria realizado declarações como: “Essa preta nojenta não vai colocar a mão em mim”; e “Negro tem que morrer”. Conforme a agente do Samu, ela ainda teria sido chamada de suja, entre outras palavras de baixo escalão.

A BM confirmou que os atos de injúria foram praticados. Não bastasse isso, os Policiais Militares (PMs) também foram desacatados, tendo um PMs sendo arranhado pela mulher. Diante da situação, ela precisou ser algema enquanto era transportada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Tramandaí. Após ser atendida, a mulher foi levada a Delegacia de Polícia (DP), onde foi presa em flagrante pelos crimes de injúria racial, lesão corporal e desacato.

Segundo a coordenadora do Samu de Tramandaí, a enfermeira Rosane Maria Dresch, a funcionária que sofreu injúria racial ficou bastante abalada com a situação. Infelizmente, situações de desrespeito com os profissionais do Samu são cada vez mais comuns. Segundo Rosane Maria, em uma ocasião, um servidor teve o colete rasgado pelo um paciente: “Nós precisamos de mais humanismo, ser tratados de forma mais humana”, ressaltou a coordenadora do Samu de Tramandaí.


There is no ads to display, Please add some