Município do Litoral entra em alerta para casos de Dengue

Mais uma cidade do Litoral Norte gaúcho entrou em alerta com o aumento no número de casos de Dengue. O município de Capão da Canoa contabiliza sete casos confirmados de dengue em 2022. A Vigilância Epidemiológica também informou que a cidade possui outros 46 pacientes com suspeita de infecção pela doença, que aguardam resultado de exame laboratorial.

Os dados foram divulgados pela Prefeitura em nota intitulada “Comunicado de Risco de Dengue”, publicada na última sexta-feira (6). Conforme o texto, os casos confirmados são de dois homens e cinco mulheres. Apenas uma dessas pessoas, segundo a Vigilância, contraiu a doença na cidade. Os outros seis teriam sido contaminados durante viagens às cidades de Igrejinha, Novo Hamburgo, Campo Bom e Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, além de cidades nos estados do Paraná (PR) e Mato Grosso (MT).

A prefeitura de Capão informou ainda que outros 49 casos suspeitos já foram descartados a partir dos resultados dos exames. “Precisamos continuar nossos esforços no combate aos focos do vetor, o mosquito Aedes aegypti!!”, diz a nota.

LITORAL NORTE – O painel de monitoramento de arboviroses da Secretaria Estadual da Saúde (SES), atualizado na tarde de sábado (7), aponta que o Litoral Norte tinha 38 casos confirmados de dengue, mas o número é inferior ao contabilizado pelos municípios da região. Apenas em Imbé, por exemplo, a Secretaria Municipal da Saúde já registrou 12 casos de dengue e um de Zika. O painel, no entanto, aponta 10. Em Tramandaí, são ao menos outros sete exames positivos para a dengue. Em Torres, até 02/05, já havia seis casos confirmados.

NO ESTADO – Em todo o RS, a dengue provocou a morte de 15 pessoas apenas neste ano. É o maior volume da série histórica no Rio Grande do Sul. A quantidade de casos contraídos dentro do Estado (chamados de autóctones) ultrapassou os 16 mil e também é o maior em um ano.

Os dois óbitos confirmados, na última sexta-feira (6), foram dos municípios de Novo Hamburgo e Jabuticaba, que agora, junto com Horizontina, têm dois óbitos cada. De acordo com o painel de monitoramento de arboviroses, as demais mortes já confirmadas ocorreram Sapucaia do Sul, Cachoeira do Sul, Lajeado, Chapada, Cristal do Sul, Igrejinha, Dois Irmãos e Boa Vista do Buricá. No ano passado, o RS registrou um total de 11 óbitos pela doença. Em 2020, foram seis.

FOTO: Divulgação


There is no ads to display, Please add some