33784224_1693017064151561_1080793627724087296_oA greve dos caminhoneiros chega nesta segunda-feira (28) ao oitavo dia, marcada pela expectativa sobre a reação da categoria após o anúncio de Michel Temer de corte de R$ 0,46 sobre o valor do diesel. Apesar de atender a parte das reinvindicações do setor, caminhoneiros autônomos e outras categorias que os apoiam seguem mobilizadas em dezenas de pontos no Estado.

A Brigada Militar está diuturnamente acompanhando as ações dos manifestantes desde a madrugada da segunda-feira (21) nas rodovias estaduais que já contabilizam 129 trechos com concentrações de motoristas. O Comando Rodoviário acompanha todas as ações do manifesto e tem negociado a liberação de caminhões que não querem aderir ao protesto e acompanhado o deslocamento dos caminhões de combustíveis das refinarias para abastecer a população.

A Polícia Militar também já escoltou 94 caminhões entre o domingo e o fim da manhã desta segunda-feira. Deste total, 27 estavam carregados com combustível, 63 com ração para animais e quatro com gás para presídios.

No Rio Grande do Sul o governo do Estado está concentrando esforços para diminuir os impactos do desabastecimento nas cidades gaúchas e normalizar a circulação de produtos essenciais como remédios, alimentos perecíveis, combustível e insumos químicos para água potável, entre outros itens. O Gabinete de Crise do governo do RS criou canais para que a população faça chamados e os pedidos possam ser filtrados.