O Ministério Público (MP), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), desencadeou a segunda fase da Operação Complex. A ação, que contou com a participação dos agentes da Brigada Militar (BM) e da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), foi realizada no último dia 25 de junho. Foram cumpridos mandados de prisão, de busca e apreensão e de indisponibilidade de bens, nas cidades de Torres e Charqueadas (na região Metropolitana).

No município do Litoral Norte, foi preso o principal operador do grupo criminoso, responsável por negociações envolvendo a lavagem de dinheiro e aquisição de grandes quantidades de entorpecentes. Durante a ação foi apreendida uma arma com cinco munições intactas.

O outro mandado de prisão foi cumprido contra o líder da organização criminosa, que já cumpria pena na Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (PASC), de onde coordenava as atividades voltadas à lavagem de capitais, além de comandar negociações relativas ao tráfico de drogas. Foram realizadas buscas na cela do apenado e apreendido um telefone celular. Foram decretadas, ainda, medidas constritivas de indisponibilidade de sete imóveis, avaliados em dezenas de milhões de reais, incluindo fazendas no RS e no Mato Grosso (MT).

INVESTIGAÇÕES – A investigação tem como foco a lavagem de dinheiro oriundo das atividades criminosas de facção estabelecida no Estado, por meio de um emaranhado de “laranjas” e empresas de fachada, que movimentaram dezenas de milhões de reais.

Na primeira etapa da Operação, deflagrada em fevereiro, em parceria com a Polícia Civil, foram cumpridas 27 ordens judiciais, sendo oito mandados de busca e apreensão e 19 medidas constritivas de indisponibilidade de veículos e bloqueio de contas bancárias de pessoas físicas e jurídicas.

As ações são desdobramento das Operações Água e Magna Ópera, deflagradas em 2020, que já haviam resultado na indisponibilidade de dezenas de imóveis e veículos e na prisão do líder da organização criminosa, entre outros indivíduos.

Foto: MP