A seleção brasileira de Futebol 5 (para cegos) conheceu nessa semana os adversários da primeira fase dos Jogos Paralímpicos de Tóquio, no Japão. Liderada pelo melhor jogador de todos os tempos na modalidade, o osoriense Ricardinho, a seleção vai em busca do quinto título da competição em cinco edições disputadas. Para isso, o Brasil vai precisar passar por um grupo com Japão (os donos da casa), a França (vice-campeã Paralímpica em Londres, 2012) e China (terceira colocada na Copa do Mundo da Espanha, em 2018; e prata na Paralimpíada de Pequim, em 2008).

Em conversa com o craque brasileiro, ele analisou os adversários que a seleção vai enfrentar na primeira fase das Paralimpíadas: “Acho que caímos em um grupo forte, com quatro equipes qualificadas. França e China já ganharam medalhas de prata em Paralimpíadas, e a China, principalmente, vem alcançando bons resultados”, declarou o ala Ricardinho.

O camisa 10 da seleção e da equipe da Acergs falou sobre o primeiro desafio do Brasil, em Tóquio, justamente contra os donos da casa. “Vale destacar a evolução do Japão. Acompanhamos esse último Grand Prix (torneio realizado em Tóquio, há duas semanas, sem participação do Brasil, vencido pela Argentina) e percebemos que, taticamente, eles estão organizados defensivamente e saindo bem para o ataque, mostrando que a metodologia de treinamento tem sido bastante eficaz”, destacou o atleta osoriense.

Em entrevista ao site da Confederação Brasileira de Desportos de Deficientes Visuais (CBDV), o técnico da seleção também falou sobre o grupo brasileiro em Tóquio. “A chave do Brasil ficou forte, mais equilibrada do que a outra. Mas o que sempre digo aos atletas é que, para serem campeões, não podem escolher adversário. Primeiro, temos de nos classificar. Vamos passo a passo”, afirmou Fábio Vasconcelos.

Vale ressaltar que na outra chave da competição estão Espanha, Marrocos, Tailândia e a Argentina, uma das favoritas para vencer a competição e principal rival da seleção brasileira.

RIVALIDADE

Brasil e Argentina são de longe as maiores seleções de Futebol 5. Para se ter uma ideia, nas sete edições da Copa do Mundo na modalidade realizadas desde 1998, apenas as duas foram campeãs da competição. A seleção brasileira é a maior vencedora com cinco títulos (1998, 2000, 2010, 2014 e 2018). Já a Argentina venceu as edições de 2002 e 2006.

Dessas edições, as seleções sul-americanas não fizeram apenas duas finais. Em 2002, a Argentina derrotou a Espanha na final no Rio de Janeiro. O Brasil acabou terminando em terceiro lugar. Já em 2010, foi à vez da seleção brasileira derrotar a Espanha na final disputa em Hereford, na Inglaterra. A Argentina ficou fora das seminais dessa edição.

Em relação às disputas Paralímpicas, o Brasil também leva vantagem contra a rival sul-americana. Em Atenas, Grécia, na estreia do Fut 5 nos Jogos, a seleção brasileira foi campeã após derrotar a Argentina na final pelo placar de 3 a 2. Já em 2012, em Londres, o Brasil eliminou a Argentina nas semifinais, ao vencer por 1 a 0 na disputa de pênaltis, após um empate sem gols no tempo normal.

Enquanto o Brasil vai em busca do quinto ouro consecutivo, a Argentina vai atrás da sua primeira conquista. Até agora, além da prata em Atenas, foram dois bronzes conquistados em Pequim (2008) e no Rio de Janeiro (2016), além de um quarto lugar em Londres (2012).

FUT 5 EM TÓQUIO

As partidas do Futebol 5 iniciam no dia 29 de agosto, com as disputadas de medalhas marcadas para o dia cinco de agosto. Na primeira fase, as seleções jogam todas contra todas (dentro do grupo), avançando as duas primeiras de cada chave para a semifinal. Na semifinal o 1º do grupo A pega o 2º colocado do B e vice-versa. Os vencedores das semifinais disputam o ouro enquanto os perdedores disputam a medalha de bronze.

Foto: Alaor Filho