O suicídio é um agravo que aflige o mundo, nos dias de hoje, e tem se tornado causa de um grande número de mortes. Tragédias que atingem não apenas aquele que tira a própria vida, mas também suas famílias e amigos, que por muitas vezes não sabem como agir nestas situações. Ciente que o suicídio atinge uma parcela cada vez maior da população, Osório, de forma pioneira, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, lançou em abril desse ano a Política de Prevenção e Posvenção ao Comportamento Suicida e Autolesivo. 

Assim, em abril, o Comitê iniciou a confecção do Plano Municipal de Promoção a Vida, Prevenção e Posvenção através de capacitação e atualização dos representantes do Comitê e dos profissionais do CAPS. A questão voltou ao foco, nas últimas semanas, devido ao suicídio de dois jovens e uma tentativa, registrados no município. Demonstrando, o quanto o assunto é preocupante e deve ser debatido. 

Para se ter uma ideia, entre 2009 e 2018, mais de 40 suicídios ocorreram em Osório. “Estamos trabalhando, diuturnamente, para auxiliar nossa comunidade nesse sentido. Contamos com o CAPS – Casa Aberta, coordenado pela psicóloga Denise Amaral e profissionais qualificados para atender os osorienses e contratamos, ainda, neste último ano o Dr. André Bendl, suicidólogo, que foi peça fundamental na criação da nossa Política de Prevenção e Pósvenção ao Suicídio”, declarou o secretário de Saúde, Emerson Magni. 

Após os tristes ocorridos, o Comitê já se reuniu com o prefeito Eduardo Abrahão, um incentivador da política de prevenção e um planejamento de urgência foi definido. “Estamos ampliando nossa rede de atendimento, intensificando o número de palestras e a presença de profissionais nas escolas, com parceria da Secretaria de Educação. A ideia é oferecer todo o apoio as pessoas que passam por situações que podem chegar a esse extremo e também as suas famílias. Precisamos capacitar nossa comunidade para entender esse grave fenômeno”, declarou Magni.

Ações definidas 

Dentre as ações definidas, além de palestras, distribuição de material informativo e capacitação de profissionais, como professores, por exemplo, o mês de setembro, já voltado para questão do suicídio, com o Setembro Amarelo, será de intensas atividades, começando dia 4, com um Simpósio na Câmara de Vereadores. 

A Secretaria ampliou sua rede de atendimento, contando com 10 psicólogos e três psiquiatras, além do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF), que conta com uma equipe multifuncional que atua na identificação e encaminhamento destes casos. O município também conta com uma parceria com a Unicnec, com a Clínica Escola, onde graduando da Psicologia realizam estágio supervisionado nas Equipes de Estratégia de Saúde da Família.

Onde procurar 

Para aqueles que quiserem mais informações sobre a Política de Prevenção e Pósvenção ao Suicídio, ou sobre o atendimento dos profissionais da área, o CAPS-Casa Aberta fica localizado na rua Santos Dumont, nº480, no Centro de Osório e o telefone é: (51) 3601-3350.

Camila Jordão Knack