Os equipamentos que registram infrações por excesso de velocidade voltaram a funcionar nas rodovias gaúchas. De acordo com o Departamento de Estradas e Rodagem (Daer), os pardais voltaram a funcionar a partir da meia-noite de hoje (sexta-feira). Ao todo, 93 faixas de tráfego vão ser monitoradas. Além desses aparelhos, foram implantadas 25 câmeras e 25 dispositivos leitores de placas, que vão auxiliar no rastreamento de veículos roubados.
O Governo do Estado vai investir R$ 5,8 milhões na manutenção e operação dos equipamentos, que será realizada pelas empresas Perkons e Fiscaltech, vencedoras do pregão eletrônico. Os contratos têm validade de dois anos, podendo ser prorrogados por igual período, e são fiscalizados pela Secretaria de Logística e Transportes, por meio do Daer.
Nas rodovias do Litoral Norte, os pardais vão ser instalados pela Perkons nas ERSs 030 (entre Osório e Tramandaí) e 389 – antiga Estrada do Mar – (entre Osório e Torres). Além disso, a empresa também vai instalar câmeras de monitoramento nas ERSs 030 (Osório – Tramandaí), 040 (Viamão – Balneário Pinhal) e 389 (Osório – Torres). Para completar ainda vai ser instalado um dispositivo de monitoramento denominado OCR (sigla em inglês para “optical character recognition”), na ERS-030, entre Osório e Tramandaí.
Ao todo, a empresa Perkons receberá R$ 3,9 milhões pela fiscalização eletrônica nas sete estradas e pelas 16 câmeras e 16 dispositivos leitores de placas implantados. Para a Fiscaltech, foi destinado R$ 1,9 milhão ao monitoramento de 25 faixas de tráfego Além disso, a empresa também é responsável por nove câmeras e nove dispositivos com leitores de placas. Vale ressaltar que apenas a Perkons será responsável pelos equipamentos instalados nas estradas da região.
Segundo o diretor-geral do Daer, Luciano Faustino, os quilômetros exatos onde os equipamentos estão instalados não são divulgados, com a finalidade de “preservar a segurança dos usuários”. Segundo Luciano, o diferencial dos contratos são os dispositivos leitores de placas, também chamados de OCRs. Eles cruzam os dados dos veículos com as informações da Secretaria da Segurança Pública (SSP) do Estado. “O sistema emite um alerta sonoro quando é identificada alguma irregularidade. Dessa forma, os agentes do Comando Rodoviário da Brigada Militar (CRBM) podem abordar indivíduos suspeitos”, salienta o diretor-geral do Daer.
A seguir veja a função de cada equipamento instalado:

Pardais: é como são popularmente chamados os equipamentos discretos de fiscalização eletrônica instalados em pontos fixos das rodovias estaduais. Os dispositivos possuem sensores implantados no pavimento e são programados para flagrar e autuar os motoristas que excederem o limite de velocidade estabelecido no trecho.
A localização exata dos pardais não é divulgada pelo Daer, com o intuito de incentivar o respeito aos limites de velocidade estabelecidos nas estradas monitoradas e, assim, preservar a segurança dos usuários ao longo de toda a via.
Câmeras: As imagens, captadas em tempo real, mostram como estão as condições da rodovia, o tráfego e o clima no trecho pesquisado. Confira: https://bit.ly/3iiCMCg.
Dispositivos leitores de placas: são radares inteligentes que, em tempo real, fazem a leitura das placas e o cruzamento dos dados com os da Secretaria de Segurança Pública (SSP). Quando é identificada alguma irregularidade, um alerta sonoro avisa a equipe do Comando Rodoviário da Brigada Militar (CRBM) para que possa ser realizada a averiguação.
Foto: Daer