A queda de parte da mureta de proteção da Ponte Giuseppe Garibaldi, que liga os municípios de Imbé e Tramandaí, na última quinta-feira (4), segue gerando preocupação para os moradores dos dois municípios. Após o ocorrido, as prefeituras de ambas as cidades pediram explicações ao Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), tendo em vista que a ponte é de responsabilidade do governo estadual.

Por meio de nota, o Daer se manifestou: “A ponte passa por vistorias periódicas, realizadas por engenheiros da Superintendência de Obras de Arte Especiais da autarquia. Nessas inspeções, são verificadas as condições estruturais da obra, em obediência às normas técnicas e de segurança vigentes”. Segundo a nota, a peça do muro de proteção teria caído devido a fatos naturais, como a maresia. Em casos como esse, o Daer alerta para que pedestres não forcem a queda do material e acionem o órgãoimediatamente.

A Guarda Municipal de Tramandaí colocou cones no local e isolou a área. Uma equipe do Daer também esteve no local e instalou uma proteção com madeira. O Daer finaliza a nota afirmando que a reconstrução da mureta caída deve ocorrer nas próximas semanas.

Os prefeitos Pierre Emerim, de Imbé, e Luiz Carlos Gauto, de Tramandaí, prepararam vistorias para serem realizadas na ponte. Pierre afirmou que não é de hoje que a Ponte Giuseppe Garibaldi está nessas condições e que tem feito de tudo para alertar o Estado e o governo federal para a situação da ponte.

As vistorias ocorreram na última sexta-feira (5) e, após isso, ficou proibida a pesca no local. A medida foi tomada por questão de segurança. Foram instalados gradis e placas informando a proibição da pesca na passarela da ponte. Segundo o secretário de Segurança, Direitos Humanos e Transporte de Tramandaí, Claudiomir da Silva Pedro, mesmo não estando interditada para o uso de pedestres, a orientação é que os moradores utilizem a ponte central para a travessia.

ESTUDOS DA NOVA PONTE SEGUEM PARADOS

Enquanto a Ponte Giuseppe Garibaldi está caindo aos poucos, o projeto de construção da nova ponte que vai ligar os municípios de Imbé e Tramandaí segue parado em Brasília há três meses. Diante do último ocorrido, os prefeitos das duas cidades tentam agilizar os trâmites para que as obras possam iniciar o mais rápido possível.

O aval do governo federal é o último entrave para liberar e empresa Beck de Souza Engenharia, vencedora da licitação realizada pela prefeitura de Imbé, para iniciar os estudos. Por meio de parceria com o Ministério da Integração Nacional, a União liberou R$ 2,7 milhões para a elaboração do projeto da nova travessia, além de estudo do traçado de engenharia e arquitetônico.

EM BUSCA DE SOLUÇÕES

Se o processo na capital do país não andar, Gauto e Emerim falam em denunciar o governo federal e o Estado por negligência e omissão. “Vamos ao Ministério Público Federal cobrar uma definição da União. E também denunciaremos o Estado no Ministério Público Estadual pela omissão de suas responsabilidades. A cada dia essa estrutura (Ponte Giuseppe Garibaldi) demonstra que a nossa população está em risco e que não vamos ficar parados esperando uma tragédia acontecer”, afirmaram os prefeitos de Tramandaí e Imbé.

Foto: Divulgação


There is no ads to display, Please add some