17688879A Polícia Civil de Imbé, no Litoral Norte, irá encaminhar na tarde desta terça-feira (20) o pedido de prisão temporária de outros três homens suspeitos de envolvimento na morte de Dejone Cleberson Rambor, 30 anos, em confusão em festa no dia 12 de outubro. Segundo o delegado Valeriano Garcia Neto, relatos de testemunhas apontam que além do autor do tiro, que foi preso no mesmo dia, estes três também participaram do crime, além de terem agredido outras pessoas.

A primeira versão apresentada no dia do crime dava conta que a vítima teria tentado separar uma briga, onde um homem estava sendo agredido. O irmão deste homem agredido teria disparado contra Rambor, acreditando que ele seria o agressor. No entanto, após ouvir o relato de testemunhas e pessoas que participavam da festa, o delegado diz que uma briga generalizada havia começado.

“Nesta briga generalizada, uma das pessoas que estaria envolvida seria o irmão da vítma (Dejone). Ele teria tentado socorrer o irmão, ou um amigo dele, quando foi morto com um tiro”, afirma o delegado. Além disso, foi contatado que outras pessoas também foram vítimas do episódio.

A investigação quer esclarecer agora se os suspeitos cometeram lesão corporal ou uma tentativa de homicídio contra as outras pessoas agredidas.

A vítima não tinha antecedentes criminais.

Arma do crime não foi encontrada

Conforme relato de testemunhas para o delegado, mais de uma arma foram usadas no crime. Elas são de calibre .22 e .32. No entanto, nenhuma foi encontrada até o momento. As armas não estavam com os suspeitos dentro da festa, mas escondidas em um carro estacionado próximo do local.

Neste domingo (20), uma passeata foi feita em Tramandaí, onde Rambor trabalhava com a irmã em uma loja de sapatos, pedindo por mais segurança na região e se manifestando contra a morte da vítima. (Fonte: Rádio Gaúcha)