Uma briga entre dois estudantes de uma escola no município de Osório acabou virando caso de polícia por possível agressão policial. Na manhã desta última quarta-feira, dia 23, no distrito de Aguapés, zona rural da cidade, localizado às margens da BR 101, um policial militar, juntamente com outro colega, que fora acionado pela direção da Escola Municipal de Ensino Fundamental Osvaldo Bastos para dispersar uma briga entre dois alunos de 13 anos, do 7º ano, acabou agredindo um terceiro estudante que não estava envolvido na briga, com um tapa no rosto.
Em entrevista na Rádio Osório nesta manhã, o diretor da escola Luciano Pereira confirmou o ocorrido e fez um registro na delegacia de polícia civil de Osório. “Chamei os brigadianos que vieram até a escola dispersar a briga entre os dois estudantes que foi bem resolvida e após eles foram até a sala de aula dos estudantes envolvidos na briga e alí, ocorreu a agressão a um terceiro estudante”, disse o diretor.
Segundo informações da professora que estava na sala de aula e relatou o ocorrido para a produção da Rádio Osório e pediu para não ser identificada, o aluno agredido teria esboçado uma reação que os dois brigadianos interpretaram como deboche. Um deles teria chamado esse aluno, de 12 anos, para a frente da classe, o indagou e desferiu o tapa no rosto. No mesmo instante, alunos e a professora começaram a chorar e ao fazer a intervenção ao policial, a professora foi intimidada pelo policial que pediu os seus documentos.
Após a saída dos policiais militares, a professora foi até a delegacia de Polícia Civil de Osório registrar uma ocorrência pela conduta abusiva dos policiais, mas ao chegar no local, os brigadianos já teriam relatado o caso e o escrivão não quis registrar a denúncia da professora que, mais uma vez, sentiu-se intimidada e foi embora.
Em contato com o secretário municipal de Educação de Osório Dilson Maciel, ele relatou que fará uma reunião com o diretor da escola, Luciano Pereira que fez um boletim de ocorrência de todo o fato ocorrido dentro da instituição. “Vou me reunir com o diretor hoje à tarde e com o boletim de ocorrência terei mais detalhes sobre o que de fato ocorreu. Também chamaremos a professora, vamos ouvir os alunos e abrir uma sindicância para apurar o ocorrido”, disse Dilson.
A turma do 7º ano, composta por cerca de 15 alunos e que presenciou a possível agressão policial teve aula normalmente nesta manhã de quinta-feira, dia 24. “Já contatei a secretaria municipal da Saúde para enviar uma equipe até a escola com psicólogos para dar apoio psicológico. Isso deve ocorrer na próxima semana. Pelo relato do diretor que está sendo questionado pela conduta extrema de ter chamado a Brigada Militar, ele nos disse que a escola tem tido um histórico de brigas entre os alunos”, disse Dilson.
A produção da Rádio Osório tentou entrar em contato com a Brigada Militar, mas ainda não teve um retorno sobre a possível agressão dos policiais militares contra o aluno e intimidação à professora. Já o delegado de polícia civil de Osório, Peterson Benitez, deu entrevista nesta manhã ao programa Olho Vivo da emissora. “Se o que a professora relatou sobre o escrivão ter se negado a registrar a ocorrência de intimidação dos brigadianos, queremos apurar esse fato e peço que ela venha à delegacia falar diretamente comigo”, disse Peterson. A Rádio Osório seguirá acompanhando o ocorrido.

Texto: Gabriela Pacheco